Augusto Diniz | Música brasileira

Jornalista há 25 anos, Augusto Diniz foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Augusto Diniz | Música brasileira

Recordista na Portela, Wanderley Monteiro diz que samba é o ‘carregador de piano’ da escola

Agremiação leva à avenida o 8º samba-enredo vencido pelo compositor, um recorde em uma disputa historicamente difícil

Foto: Divulgação
Apoie Siga-nos no

Wanderley Monteiro é conhecido como autor de um samba que ficou marcado na voz de Beth Carvalho. Chamado Vida de Compositor, ele recebeu a letra do parceiro, Álvaro Maciel, um dia depois de perderem a disputa do samba-enredo na São Clemente para o desfile de 1994.

“Naquela ocasião, não tinha nenhum traquejo para isso”, lembra Wanderley. Mas ele inseriu melodia na letra que recebeu de Álvaro, que o viu entristecido com a derrota na escola de samba.

Na música, faz-se um retrato do sambista que costuma participar de disputas como essa: “Linda melodia, linda poesia/ Não achei defeito algum/ Mas samba-enredo só ganha um”.

Trinta anos depois, a Portela entra na Sapucaí cantando o oitavo samba-enredo vencido por Wanderley Monteiro. Um recorde, superando Noca da Portela e Davi Corrêa, que ganharam sete vezes cada um a disputa.

“Cheguei à Portela já com idade avançada, aos 45 anos, numa escola de samba onde geralmente as pessoas têm laços estreitos com a agremiação e estão lá desde cedo”, afirma.

A centenária Portela tem sua história fortemente ligada à ala de compositores, pelo fato de alguns de seus integrantes terem se tornado proeminentes sambistas, como Candeia, Zé Keti, Paulinho da Viola, Monarco, João Nogueira, entre outros.

Por causa desse histórico, integrar a ala dos compositores na escola centenária tornou-se desejo de muitos, inclusive sambistas da nova geração, como Diogo Nogueira. Por outro lado, a disputa pela vitória sempre foi muito concorrida.

Wanderley Monteiro, porém, conseguiu. Foram oito títulos desde 2009. “O que mudou é que nos dois primeiros (2009 e 2011) o meu nome ficava escondido na parceria, pois ainda não era conhecido na escola”, lembra.

“Depois, por decisão das parcerias de que participei, meu nome vinha puxando a lista, com exceção de 2024 – eu pedi aos parceiros para fazermos um rodízio na ordem, para todos aparecerem.”

No samba-enredo que vai para a avenida neste ano, assinam com Wanderley Rafael Gigante, Vinicius Ferreira, Bira, Jefferson Oliveira, Hélio Porto e André do Posto 7. O enredo é Um Defeito de Cor, baseado no romance de Ana Maria Gonçalves.

O compositor afirma que o samba-enredo é o grande “carregador de piano” de um desfile. “Ele é responsável e influencia notas de vários quesitos. Um samba empolgante, bonito e valente faz toda a escola passar com garra. Cria mais envolvimento dos foliões e funcionam mais fácil a harmonia, a evolução, o desfile.”

Entre a Vida de Compositor e a música que puxa o desfile da Portela neste ano, Wanderley teve outros sambas gravados por Beth Carvalho que viraram sucesso, como Água de Chuva no Mar (em parceria com Carlos Caetano e Gerson Gomes) e Pra Conquistar Seu Coração (composição com o inesquecível Luiz Carlos da Vila).

Também tem músicas gravadas por Fabiana Cozza e Roberta Sá, entre muitos outros. Suas composições primam pelo refinamento e pela sofisticação, e seus parceiros vão de Monarco a Moacyr Luz.

Em 2024, Wanderley pretende lançar seu terceiro álbum solo. Com o nome de O Samba Espera, o músico mostra nele a sua face além do samba, com ijexás, choros, calangos, boleros, baiões e sambas-canção compostos por ele. Já gravado, o disco tem as participações de Roberta Sá, Áurea Martins e Moacyr Luz.

Nascido no Morro da Babilônia, no bairro do Leme, no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Wanderley Monteiro quer ir muito além do recorde conquistado na Portela. Ele já provou que pode.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.