TSE condena Jair Bolsonaro: Ex-presidente fora das urnas por oito anos

No ‘Direto da Redação’, os repórteres Victor Ohana e Marina Verenicz entrevistam o deputado federal José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara, e o advogado eleitoral Vitor Goulart Nery, membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político

O ex-presidente Jair Bolsonaro está fora das urnas por oito anos. Com o voto da ministra Cármen Lúcia e do ministro Alexandre de Moraes, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já formou maioria para garantir a inelegibilidade do ex-capitão até 2030. A ação, protocolada pelo PDT, apura a reunião promovida com embaixadores em julho de 2022. Na agenda, transmitida pela TV Brasil, o então presidente repetiu mentiras sobre o sistema eleitoral e atacou instituições.

Qual será a reação de Jair Bolsonaro – e do bolsonarismo – à condenação do ex-capitão? A defesa de Bolsonaro ainda poderá recorrer a outras instâncias do Judiciário? Para ajudar a entender o tamanho do problema para os bolsonaristas e como está o clima em Brasília após a decisão do TSE, os repórteres Victor Ohana e Marina Verenicz, de CartaCapital, recebem o deputado federal José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara, e o advogado eleitoral Vitor Goulart Nery, membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político.

Veja também: A participação de Lula no Foro de São Paulo, o encontro das lideranças de esquerda na América Latina. As expectativas para as votações do arcabouço fiscal e da reforma tributária, previstas para a próxima semana no Congresso. E o saldo das matérias aprovadas pelo Governo nos primeiros seis meses da presidência de Lula.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar