Por que a Justiça tem falhado no caso Brumadinho?

A repórter Camila da Silva comenta o andamento dos processos contra a Vale e a Tüv Süd no novo episódio do Carta Explica

Em 25 de janeiro de 2019, 272 pessoas morreram soterradas por milhões de rejeitos de mineração, após o rompimento da barragem da Vale, no Córrego do Feijão (MG). Outras três vítimas seguem desaparecidas. Até hoje, cinco anos depois, o caso não teve seus responsáveis apontados. Apesar das investigações mostrarem que o risco do rompimento da barragem era de conhecimento do alto escalão da Vale, nem a mineradora e nem a subsidiária alemã, TÜV SÜD, responsável pela segurança da estrutura, foram condenadas.

As empresas e mais 16 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Minas Gerais e Ministério Público Federal. A Justiça Federal acatou a denúncia, e agora o processo está sob análise na 2ª Vara Criminal Federal de Belo Horizonte.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar