Os desafios de Lula na escolha dos novos ministros

A equipe de CartaCapital recebe o cientista político Leonardo Avritzer, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

A semana começou agitada em Brasília: Horas após a diplomação do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), última etapa antes da posse em 1º de janeiro, bolsonaristas inconformados com a derrota do ex-capitão depredaram o centro da capital federal, provocando incêndios contra carros e ônibus, além da tentativa de invasão do prédio da Polícia Federal. Apesar do vandalismo dos extremistas, os trabalhos do Gabinete de Transição seguiram normalmente até seu encerramento na terça-feira 13. Lula, por sua vez, segue com a nomeação dos ministros de seu gabinete. Quais devem ser os próximos nomes anunciados e quais desafios o novo presidente deve enfrentar na escolha dos nomes para chefiar as pastas? Para comentar as principais notícias dos últimos dias, a equipe de CartaCapital recebe o cientista político Leonardo Avritzer, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Veja também: Operação da Polícia Federal (PF) cumpre mais de 100 mandados de busca e apreensão contra bolsonaristas suspeitos de organizar atos golpistas. Lula acusa Jair Bolsonaro de incentivar “ativistas fascistas”. Geraldo Alckmin, o novo vice-presidente, comenta a falta de planejamento e o “apagão de dados” do governo do ex-capitão: “Dados dão a entender que o governo Bolsonaro aconteceu na Idade da Pedra em que não havia palavras ou números”. A Economia no governo Lula: Fernando Haddad é nomeado para o Ministério da Fazenda, Luiz Marinho no Ministério do Trabalho e Aloísio Mercadante é indicado para a presidência do BNDES. O que esperar de Flávio Dino no Ministério da Justiça, Mauro Vieira no Itamaraty e Margareth Menezes na Cultura. A relação de Lula com as Forças Armadas: José Múcio, o novo ministro da Defesa, terá uma boa interlocução com os militares? Qual será o destino de Simone Tebet, peça fundamental na campanha de Lula? E o que esperar da política ambiental para o próximo governo.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.