Operação-abafa do governo matou a CPI do MEC?

André Barrocal entrevista o senador Marcelo Castro (MDB-PI)

O governo Bolsonaro detonou uma operação política para impedir o Senado de abrir uma CPI do MEC. A comissão foi proposta pelo líder da oposição, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), para investigar o caso dos pastores que ofereciam a prefeitos, em troca de propina, influência dentro do Ministério da Educação e o caso da licitação superfaturada de compra de ônibus escolares, entre outros. Rodrigues chegou a reunir as 27 assinaturas mínimas necessárias para criar a CPI, mas o governo convenceu alguns senadores a desistir do apoio. A operação-abafa foi comandada pelo chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, padrinho do presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo Lopes da Ponte. Ou seja, o ministro agiu não só para proteger Bolsonaro mas a si próprio também. A CPI ainda tem chances de vingar? O que esperar do inquérito da Polícia Federal sobre o escândalo? E a eleição presidencial, como será, especialmente no Nordeste, reduto de Lula? Sobre esses assuntos, o repórter André Barrocal entrevista AO VIVO o senador pelo Piauí Marcelo Castro (MDB), presidente da Comissão de Educação do Senado.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.