Nordeste reage ao ‘lampejo separatista’ de Romeu Zema

No programa ‘Direto da Redação’, governador da Paraíba comenta as declarações do governador de Minas Gerais

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, do partido Novo, voltou à cena por mais uma fala polêmica e xenofóbica. Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, o político defendeu a criação de uma frente reunindo os sete estados do Sul e do Sudeste, com a finalidade de isolar o Nordeste e o Norte. Segundo o governador, essas seriam regiões de pessoas improdutivas e dependentes de programas sociais, enquanto o Sul e o Sudeste “têm uma arrecadação muito maior, mas não recebem de volta”. Segundo o governador, os sete estados são responsáveis por 70% da economia do País, representam 56% da população e, portanto, devem assumir o protagonismo político. A fala preconceituosa de Zema recebeu uma resposta imediata do Consórcio Nordeste, que divulgou uma nota rebatendo as declarações. A entidade, que ganhou grande relevância no combate à pandemia por atuar independentemente do negacionismo do governo Bolsonaro, classificou a fala do governador de “lampejo separatista” e afirmou que, ao contrário de Zema, sempre defendeu a união dos estados, a partir dos esforços para redução das desigualdades regionais.

Para comentar as declarações de Romeu Zema, as repórteres Fabíola Mendonça e Marina Verenicz receberam, no Direto da Redação, o governador da Paraíba, João Azevêdo, que é também presidente do Consórcio Nordeste.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar