Musk e a extrema-direita global com Bolsonaro e as fake news

André Barrocal entrevista o deputado federal Márcio Jerry, líder do PCdoB na Câmara

O bilionário Elon Musk, dono da rede social X, o ex-Twitter, e o bolsonarismo selaram uma aliança explícita e investem contra o Supremo Tribunal Federal (STF). À extrema-direita brasileira, interessa tentar apoio internacional para pressionar autoridades brasileiras na esperança de salvar a pele de Jair Bolsonaro de um acerto de contas com a Justiça. Já Musk tenta impedir a aprovação no Brasil, e em qualquer outro lugar, de uma lei contra mentiras e ódio disseminados pelas chamadas big techs. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu engavetar uma proposta que há tempos estava pronto para ser votada e tinha sido preparada pelo deputado Orlando Silva (PCdoB-SP). Agora será criado um grupo de trabalho para começar tudo do zero, uma vitória do bolsonarismo e de Musk. Uma lei do gênero ajudaria a dar mais respaldo jurídico ao Supremo em certos julgamentos e investigações contra fake news. Mesmo sem ela, a corte tem feito o que pode contra Bolsonaro e o ex-Twitter. Sobre esses assuntos, o repórter André Barrocal entrevista o deputado Márcio Jerry, do Maranhão, líder do PCdoB na Câmara.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar