Exploração da fé e a ‘denúncia’ de Damares. A ex-ministra mentiu ou prevaricou?

A equipe de CartaCapital apresenta as principais notícias da semana no programa ‘Fechamento’

Neste episódio, André Barrocal, Mariana Serafini e Rodrigo Martins comentam a exploração eleitoral da fé no segundo turno da corrida presidencial. Na quarta-feira 12, Bolsonaro causou alvoroço no Santuário Nacional de Aparecida do Norte. Seus apoiadores chegaram a interromper uma missa aos gritos de “Mito” e a perseguir um fiel com camiseta vermelha nos arredores da basílica. Dom Odilo Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, e Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida do Norte, criticam, porém, a vinculação entre política e religião.

Enquanto isso, em vídeo que viralizou nas redes sociais e sem se constranger com a presença de menores no recinto, Damares Alves fez relatos aberrantes de abusos sexuais cometidos na paraense Ilha de Marajó e supostamente levados ao seu conhecimento quando ocupava a pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos. Como a ex-ministra não detalhou quais medidas foram tomadas pelo governo para inibir os crimes, o Prerrogativas, grupo de advogados atuante, decidiu pedir uma investigação dos relatos. Quer saber se a ex-ministra e o ex-capitão cometeram crime de prevaricação ao se omitir ante fatos gravíssimos ou se Damares recorreu a mentiras com o intuito político de “alimentar o discurso de ódio e tumultuar o processo eleitoral”.

O programa apresenta, ainda, alguns destaques da edição impressa. Caso reeleito, Bolsonaro arquiteta um plano de investir contra o Supremo, e não por ideologia. As minorias buscam formas de romper com o bloqueio da maioria reacionária nos Legislativos. E mais: os donos do dinheiro tentam enquadrar Lula.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar