Política

Moraes pede limites ao uso da inteligência artificial nas eleições

Desinformação nas redes sociais com emprego de IA, na avaliação do presidente do TSE, é algo ‘extremamente perigoso’

O ministro Alexandre de Moraes, do STF. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF
Apoie Siga-nos no

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, alertou nesta quarta-feira 22 que o uso de inteligência artificial para disseminar desinformação representa uma grande ameaça ao processo democrático e defendeu limitar o emprego dessa tecnologia nas eleições.

Moraes ministrou uma palestra na abertura do seminário Desinformação nas Eleições: abordagens do Brasil e da União Europeia, na sede do TSE, em Brasília.

Ele exaltou o combate travado pela Justiça Eleitoral contra a desinformação nas redes sociais em eleições passadas, mas avaliou existir, a partir de agora, “um desafio maior: o combate à desinformação veiculada nas redes sociais com uso de inteligência artificial”.

“Isso é extremamente perigoso”, disse o magistrado. “Temos de propor teses legislativas, temos de propor interpretações jurídicas, um cronograma educacional para aqueles que têm acesso às redes sociais. Temos de propor limitações ao uso de inteligência artificial nas eleições. Temos de nos aprimorar.”

A embaixadora da delegação da União Europeia no Brasil, Marian Schuegraf, afirmou que a abordagem em seu continente se baseia na aplicação dos direitos humanos ao ambiente digital. Segundo ela, o foco é no combate “à interferência eleitoral vinda de além de nossas fronteiras”.

(Com informações da Agência Brasil)

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.