Política

Governo Federal anuncia plano de preservação do Cerrado após aumento do desmatamento

Destruição do bioma cresceu pelo quarto ano seguido, apesar da diminuição do ritmo em comparação ao governo de Jair Bolsonaro

Créditos: EBC Créditos: EBC
Apoie Siga-nos no

O governo federal anunciou um plano de preservação do Cerrado após o aumento do desmatamento do bioma pelo quarto ano seguido. 

De agosto de 2022 a julho deste ano, a devastação da região equivale a uma área de 11 mil km²., segundo monitoramentos do Prodes, sistema pertencente ao Inpe. 

É o quarto ano consecutivo de aumento do desmatamento da vegetação nativa, apesar da diminuição do ritmo em comparação ao governo de Jair Bolsonaro (PL). 

Os piores resultados são da área conhecida como Matopiba, que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. 

Juntos, os estados concentraram 75% da área devastada. Na região, somente Goiás e Mato Grosso tiveram as maiores quedas, de 18% cada. 

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, mais da metade da devastação ocorreu em propriedades particulares e está consoante ao código florestal.

Segundo a legislação brasileira, no Cerrado é obrigatório a preservação de 20 a 35% da vegetação nativa. 

Entre as medidas anunciadas pelo governo estão o maior controle das autorizações de derrubada da floresta nativa, aumentar a fiscalização e expandir as áreas de proteção ambiental do bioma. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.