Justiça

Thiago Brennand chega ao Brasil neste sábado 29 e vai para a carceragem da PF em São Paulo

Entenda o que deve acontecer com o empresário acusado de oito crimes, assim que ele retornar ao País

Créditos: Reprodução Instagram
Apoie Siga-nos no

Após 12 dias preso nos Emirados Árabes Unidos, o empresário Thiago Brennand deve completar o processo de extradição neste sábado 19, quando chega ao Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, às 17h.

Brennand tem cinco prisões preventivas decretadas e responde a oito denúncias por estupro, sequestro e cárcere privado, lesão corporal, corrupção de menores, ameaça e calúnia, injúria e difamação

Em setembro de 2022, poucas horas antes de ser denunciado pelo Ministério Público de São Paulo por agredir uma mulher em uma academia, ele viajou ao país árabe, onde ficou foragido

Brennand chegou a ser preso pela Interpol, em outubro, mas pagou fiança e foi solto. Depois, foi preso em 17 de abril, quando iniciado o processo de extradição junto à justiça brasileira. 

A equipe que embarcou na quinta-feira 27 para o retorno do empresário para o Brasil foi composta por um delegado, dois agentes da PF e um escrivão da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) com treinamento em jiu-jítsu. 

Após desembarcar em São Paulo, Brennand deve ser encaminhado para a Polícia Federal para realizar exames do IML (Instituto Médico Legal).

Em seguida, segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, a audiência de custódia do empresário deve acontecer no domingo 30, e na sequência, ele deve ser encaminhado para o CDP 1 (Centro de Detenção Provisória) de Pinheiros, na zona oeste.

O CDP 1 foi escolhido a fim de reduzir os riscos de agressão e linchamento, já que a unidade é destinada a presos suspeitos de crimes sexuais.

Nos primeiros dias, Brennand deve ficar em isolamento durante 10 dias e depois poderá ter convívio com outros presos, prática comum com todos aqueles que ingressam no sistema penitenciário paulista. 

Também como medida de segurança, o governo paulista deve colocá-lo em uma cela com poucos presos — dois ou três, no máximo —, para reduzir chances de eventuais agressões, ainda que o empresário tenha treinamento em artes marciais.

Segundo dados divulgados pela Secretaria da Administração Penitenciária, apesar da capacidade para 521 presos, o CDP 1 de Pinheiros tem atualmente 729 detidos.

De acordo com integrantes da cúpula do governo paulista, em caso de eventual condenação, Thiago Brennand pode ser transferido para uma penitenciária de Tremembé, no interior do estado, onde ficam presos chamados “midiáticos”.

ENTENDA MAIS SOBRE: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo