Sociedade

Sistemas do Inmet emitem alerta de chuva intensa em parte do Rio Grande do Sul

Extremo sul do estado está dentro da área de alerta para chuvas com vento e granizo

Ruas inundadas no Rio Grande do Sul. Foto: Thiago Guimarães /PMC
Apoie Siga-nos no

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu, nesta segunda-feira 6, um novo alerta de perigo potencial para tempestades no extremo sul do Rio Grande do Sul.

O alerta vermelho, que sinaliza grande perigo, fica válido até as 12h de terça-feira 7, e abrange os municípios de Arroio Grande, Chuí, Herval, Jaguarão, Pedras Altas, Rio Grande e Santa Vitória do Palmar.

A previsão de precipitação é de 20 a 30 mm/h na região. O total acumulado em 24 horas poderá chegar a 100 milímetros, o que pode representar a média esperada para todo o mês de maio.

Ainda estão esperadas rajadas de vento superiores a 100 km/h e quedas de granizo.

Já na região de Porto Alegre, a chuva deverá dar uma trégua nesta segunda-feira. No entanto, a partir de terça-feira, a capital gaúcha poderá registrar novas tempestades.

Na quarta-feira, ainda segundo o Inmet, há uma nova previsão de chuva para áreas já castigadas pelos temporais.

De acordo com o Climatempo, o avanço de nova frente fria volta a provocar aumento nas condições de pancadas fortes de chuva no Rio Grande do Sul. A condição pode dificultar os resgates.

Segundo o Exército, que coordena buscas e resgates, a temperatura mais baixa aumenta o risco de hipotermia entre os ilhados.

A situação, informa o Climatempo, pode melhorar em parte do estado a partir de quinta-feira 9, quando uma área de alta pressão deve inibir a formação de nuvens carregadas sobre as regiões Sul, Central e Fronteira Oeste.

Mortos e desaparecidos

Na manhã desta segunda-feira 6, a Defesa Civil confirmou 83 mortes no estado. Os feridos chegaram a 276 e os desaparecidos somam 111. O balanço do órgão também aponta que o número de pessoas afetadas pelas chuvas já ultrapassou a marca de 850 mil.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo