Sociedade

O que é o trabalho oculto, acusação feita por funcionária contra Neymar

Ex-empregada do jogador busca na Justiça indenização no valor de 1,9 milhão de reais

Créditos: EBC
Apoie Siga-nos no

Uma mulher que trabalhava como funcionária doméstica para o jogador Neymar, em Paris, acusou o atacante por trabalho oculto. Segundo o jornal Le Parisien, a profissional trabalhou sete dias por semana, entre janeiro de 2021 e outubro de 2022, em um trabalho não declarado.

Ela, que não tinha contrato de trabalho firmado com o jogador, recebia 15 euros líquidos por hora trabalhada e cumpria quase 70 horas semanais, sem direito a dias de folga.

Conforme a legislação francesa, o trabalho oculto consiste em um delito caracterizado pelo não cumprimento de todas as condições comerciais, fiscais ou sociais devida ao trabalhador.

O trabalho não declarado priva o trabalhador dos direitos atrelados a proteção social e trabalhista e pode acarretar em consequências financeiras significativas, como a falta de suporte em caso de acidente de trabalho, término do contrato ou até mesmo dificuldades em se obter aposentadoria.

Para além da ausência de registro, a trabalhadora ainda afirma ter havido sobrecarga de trabalho. Por não haver contrato estipulando as horas de serviço, é comum que, em casos como este, os profissionais continuem desempenhando tarefas mesmo em seus momentos de descanso.

O trabalho oculto vai além das jornadas estendidas ou de hora extra remunerada.

A mulher alega que precisou trabalhar até 15 dias antes do nascimento prematuro de seu filho, sem ter o devido acompanhamento médico.

A funcionária ainda recorreu à Justiça para ter reconhecidas as horas extras não remuneradas. Ela teria registrado as horas trabalhadas em um caderno.

O valor exigido pela empregada é de quase 2 milhões de reais.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.