Sociedade

Morre Pedro Herz, fundador da Livraria Cultura, aos 83 anos

A causa provável da morte é um ataque cardíaco na madrugada desta terça-feira

Foto: Claudio Wakahara/Divulgação
Apoie Siga-nos no

O fundador da Livraria Cultura, Pedro Herz, morreu nesta terça-feira 19, aos 83 anos. Herz foi acometido por um ataque cardíaco durante a madrugada em sua casa, em São Paulo

O velório será no Cemitério Israelita do Butantã na quarta-feira 20, às 10h, e o enterro às 12h. 

Ao lado da mãe, a judia alemã Eva Herz, ele transformou a livraria em uma das gigantes do mercado literário brasileiro. 

“Pedro Herz foi um visionário no campo editorial, tendo desempenhado um papel fundamental no desenvolvimento e promoção da literatura em nosso país. Sua paixão pela leitura e seu compromisso em tornar os livros acessíveis a todos deixaram uma marca indelével na comunidade literária e além”, recordou a Livraria Cultura, em nota sobre o falecimento. 

“Sua ausência será profundamente sentida, mas seu legado perdurará através das páginas dos livros que tanto amou”, completou o comunicado.

Na obra, O Livreiro, Herz conta que sua mãe começou a trabalhar com livros importados no Brasil, quase uma década depois de a família fugir da Segunda Guerra Mundial

A unidade começou, então, a se expandir em meados de 2007, já no Conjunto Nacional, em São Paulo. Posteriormente se tornando uma das maiores referências nacionais, além da venda de livros, no encontro de renomados autores para lançamentos, debates e peças de teatro com 18 lojas em várias capitais.

Porém, em 2018, a empresa entrou com pedido de recuperação judicial diante um processo de falência e começou a fechar as 12 lojas que tinha naquele momento em operação.

Em fevereiro deste ano, o Superior Tribunal de Justiça, negou um recurso da empresa para recuperação judicial e autorizou a ordem de despejo no imóvel do Conjunto Nacional. O motivo apontado pelo tribunal foi a falta de pagamento dos aluguéis desde 2020, que alcançou uma dívida somada em 15 milhões de reais.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo