Sociedade

MetSul divulga fotos de antes e depois da enchente na região metropolitana de Porto Alegre

Imagens de satélite mostram proporções devastadoras do avanço das águas no delta do Jacuí e Grande Porto Alegre

Foto: Carlos FABAL / AFP
Apoie Siga-nos no

A MetSul Metereologia divulgou imagens de satélite da enchente histórica que arrasou cidades do Rio Grande do Sul banhadas pelos rios Taquari, Caí, Pardo, Jacuí, Gravataí e Sinos e agora provoca elevação recorde do Guaíba e desabriga milhares de pessoas na região Metropolitana de Porto Alegre.

“Estamos diante de um desastre de proporções que palavras não podem definir”, afirma a publicação que mostra as imagens nas redes sociais.

Veja como era a região antes da enchente:

Veja o avanço das águas do delta do Jacuí e região de Metropolitana:

Balanço de mortes

No estado, informa a Defesa Civil, a chuva já deixou pelo menos 85 mortos. Há ainda outros 4 óbitos em investigação. O último balanço foi divulgado na noite de segunda-feira 6.

As autoridades contabilizam 339 feridos, 134 desaparecidos e mais de 201 mil pessoas estão fora de casa, sendo 153.824 desalojados e 47.676 em abrigos públicos.

As chuvas, que provocaram inundações na maior parte do estado, já afetaram 1.178.226 gaúchos de alguma forma. O número de municípios subiu para 385.

Como resposta ao caos levado pelo temporal à região, o governo federal oficializou, na noite de ontem, um decreto legislativo assinado pelo presidente Lula (PT) para acelerar o repasse de verbas ao Rio Grande do Sul. O texto foi aprovado em votação simbólica na Câmara pouco depois.

A proposta apresentada nesta segunda autoriza a União a fazer despesas e renúncias fiscais em prol do Rio Grande do Sul sem ter de cumprir regras sobre limite de gastos.

Também nesta segunda, o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta (PT), afirmou que o governo federal liberará 614 milhões de reais em emendas direcionadas ao Rio Grande do Sul.

(Com informações de Brasil de Fato)

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo