Sociedade

Maioria da população brasileira apoia isolamento social, aponta pesquisa

O tema tem colocado o presidente Jair Bolsonaro em um embate com governadores

Isolamento social no Brasil. Foto: AFP
Isolamento social no Brasil. Foto: AFP

A maioria da população brasileira se diz favorável ao isolamento social como prevenção ao coronavírus. Foi o que mostrou uma pesquisa divulgada nesta terça-feira 12, pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT).

O levantamento mostra que 67,3% defendem que o isolamento social deve ser praticado por todos, independentemente de ser ou não do grupo de risco. 29,3% acreditam que apenas o grupo considerado de risco deve ser isolado e 2,6% acham que ficar em casa não deveria ser uma opção.

Com a pandemia do coronavírus, que até o momento já resultou em quase 12 mil mortes no Brasil, o isolamento social tem sido a principal medida apresentada por especialistas da área da saúde como forma de combater o aumento dos casos da Covid-19.

O tema, no entanto, tem colocado o presidente Jair Bolsonaro em um embate com a maioria dos governadores dos estados brasileiros. Enquanto o capitão milita pelo fim do isolamento, os chefes dos executivos estaduais têm garantido a quarentena por decretos.

Alguns estados como o Maranhão, Ceará e Pará já chegaram a decretar o lockdown, que é o isolamento mais rígido de todos os cidadãos, podendo sair de casa apenas os profissionais de serviços considerados essenciais. Em contrapartida, Bolsonaro acusa essa medida de ditadura, comparando com a Venezuela.

O levantamento mostra que a atuação dos governadores é mais positiva que a do presidente. 69,2 dos entrevistados aprovam a atuação dos governos estaduais no combate à pandemia enquanto 51,7 concordam com Bolsonaro.

Já sobre a expectativa com empregos, que já sofrem com as consequências econômicas da pandemia, a maioria (68,1) acredita que o cenário vai piorar.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!