Sociedade

Mãe de 6 morre após ser baleada na cabeça em uma ação da PM no litoral de São Paulo

Familiares da vítima negam a versão da polícia. A Operação Verão chegou a 55 mortes

edneia posa para foto selfie em espelho, segura celular com a mãoedneia posa para foto selfie em espelho, segura celular com a mão Edneia Fernandes, 31, morreu após levar um tiro na cabeça durante ação policial em Santos, no litoral de SP - Reprodução/Facebook
Apoie Siga-nos no

Uma mulher de 31 anos morreu após ser atingida por um tiro na cabeça em Santos, no litoral de São Paulo, durante uma operação da Polícia Militar. Edneia Fernandes Silva, mãe de seis filhos, estava sentada no banco de uma praça quando foi alvo do disparo, na quarta-feira 27.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o episódio aconteceu durante um confronto com suspeitos que teriam atirado contra agentes da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas, a Rocam. Familiares da vítima, contudo, negam essa versão.

Ao G1, uma prima de Edneia afirmou não ter havido troca de tiros no local. “A polícia está dizendo mentira, de que foi troca de tiros. Não houve operação, só três motos da Rocam que passaram”, relatou. “Um único tiro vindo do policial foi o que atingiu ela.”

Em nota, a SSP informou que as circunstâncias do caso são investigadas pelo 5º Distrito Policial de Santos e pela Polícia Militar, que instaurou um procedimento administrativo.

Agora, a Operação Verão chega a 55 mortes. A primeira fase da ofensiva no litoral começou em 18 de dezembro, com foco no reforço da segurança das cidades durante a alta temporada de verão. Mas, com a morte do soldado da Rota Samuel Wesley Cosmo, a SSP deflagrou uma nova etapa.

O alto número de mortes durante a operação é alvo de denúncias por parte de organizações ligadas aos direitos humanos. A despeito disso, o secretário Guilherme Derrite afirma não ver excesso da PM nas ações.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo