Funai confirma morte de indígena após garimpeiros invadirem aldeia

Indígenas da terra Waiãpi, no Amapá, relataram a invasão na madrugada deste sábado 27

Foto: reprodução/Rede Amazônica

Foto: reprodução/Rede Amazônica

Sociedade

A morte de um indígena foi confirmada pela Funai (Fundação Nacional do Índio) após denúncia de invasão de garimpeiros na Terra Indígena Waiãpi, em Pedra Branca do Amapari, no Amapá, neste sábado 27.

Pelas redes sociais, o senador Randolfe Rodrigues (Rede) denunciou que um grupo de 50 garimpeiros invadiu a terra indígena na madrugada de sábado 27, após ser informado pelo vereador Jawaruwa Waiãpi (Rede). “Os relatos que nos chegam dão conta que dois caciques foram assassinados na aldeia Marirí”, disse Rodrigues.

O senador fez um apelo para que a Polícia Federal interviesse na situação, a fim de ser evitado um confronto ainda maior. Personalidades como Caetano Veloso, que está em turnê internacional no México, e Criolo, também cumprindo agenda de shows internacionais, em Portugal, engrossaram o apelo em defesa dos indígenas.

Pedido de socorro

O coordenador de apoio em Pedra Branca do Amapari, Kurani Waiãpi, gravou um vídeo pedindo ajuda das autoridades para o envio de policiais federais à terra invadida. “Já teve um assassinato na quarta-feira (24) de uma liderança Waiãpi e não queremos mais a morte das nossas lideranças indígenas. Estamos pedindo socorro para as autoridades competentes”, afirmou.

Em nota, a Funai informa que acionou as autoridades competentes e seus servidores no local assim que tomou conhecimento do fato neste sábado. A Polícia Federal e o BOPE se deslocaram para a aldeia.

“Por ora não há registros de conflito, apesar de ter sido confirmado um óbito, mas não há detalhes das circunstâncias. O local é de difícil acesso”, informa a nota.

Por fim, o órgão informa que “mesmo assim, a equipe da Funai e da PF permanecerão no local para garantir a integridade dos indígenas e apuração dos fatos”.

Investigação

O Ministério Público Federal do Amapá abriu uma investigação criminal para apurar a invasão dos garimpeiros à terra indígena dos Waiãpis, informou neste domingo 28 o site G1. Além do MPF, representantes do Ministério Público Estadual, Exército e Secretaria de Segurança Pública compõem uma força-tarefa para acompanhar a situação nas terras indígenas.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem