Putin: Rússia inicia vacinação em massa na próxima semana

Em novembro, governo russo informou que Sputnik V tem 95% de eficácia contra a Covid-19

Presidente da Rússia, Vladimir Putin. Foto: AFP

Presidente da Rússia, Vladimir Putin. Foto: AFP

Saúde

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, determinou nesta quarta-feira 2 que o país inicie, na próxima semana, a vacinação em larga escala contra a Covid-19. “Vamos dar esse primeiro passo”, disse, em referência à aplicação da Sputnik V, primeiro imunizante registrado em meio à pandemia, em agosto.

 

 

“Sei que fabricamos, ou teremos fabricado nos próximos dias, mais de 2 milhões de doses da vacina Sputnik V contra o coronavírus. Isso nos permite começar de forma ampla uma vacinação em escala, se não em massa. Como havíamos combinado, a prioridade seria para os dois grupos de risco em primeiro lugar, médicos e professores. Se você [Tatiana Golikova, vice-primeira ministra da política social] acha que estamos prontos para essa etapa, peço que organize para que possamos começar a vacinação em massa até o final da próxima semana”, pediu Putin.

“Vamos concordar com isso: você não vai se reportar a mim na próxima semana, mas vai começar a vacinação em massa. Vamos começar a trabalhar já”, completou.

Segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins, a Rússia é o quarto país com mais casos registrados de Covid-19 – 2.327.105 na tarde desta quarta-feira 2 – e o décimo em número de mortes – 40.630.

No dia 24 de novembro, o governo russo informou que a Sputnik V tem 95% de eficácia contra a Covid-19. Esses são resultados preliminares obtidos com voluntários 42 dias após a aplicação da primeira dose, segundo um comunicado conjunto com o centro Gamaleya, o Ministério russo da Saúde e o Fundo Soberano russo envolvido no desenvolvimento do imunizante.

A determinação de Putin se deu horas depois de o Reino Unido se tornar o primeiro país a autorizar o início da vacinação. “O governo aceitou hoje (quarta) a recomendação da Agência Independente de Regulamentação de Medicamentos e Produtos Sanitários (MHRA) de aprovar o uso da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech”, declarou um porta-voz do Ministério da Saúde, acrescentando que “a vacina estará disponível em todo Reino Unido a partir da próxima semana”.

“O Reino Unido é o primeiro país do mundo a dispor de uma vacina aprovada clinicamente”, celebrou o ministro da Saúde, Matt Hancock, no Twitter.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem