Nelson Teich destaca “alinhamento completo” com Bolsonaro

Para o novo ministro da Saúde, Brasil deve 'conhecer melhor a doença' e economia e saúde não 'competem entre si'

Nelson Teich, novo ministro da Saúde do governo Bolsonaro - Foto: Marcelo Casal Jr/Agencia Brasil

Nelson Teich, novo ministro da Saúde do governo Bolsonaro - Foto: Marcelo Casal Jr/Agencia Brasil

Política,Saúde

O novo ministro da Saúde, que entra em um momento de pandemia de coronavírus, já deu o recado: está alinhado ao presidente Jair Bolsonaro, mesmo defendendo medidas de isolamento horizontal, como o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.

No primeiro discurso como novo chefe da pasta, o oncologista Nelson Teich afirmou que se sentia “honrado” em assumir o cargo, e disse que não haveria nenhuma “definição brusca” na forma como lidar com a crise no Brasil – apesar da troca de comandos ter sido efetuada após desalinhamentos do presidente Bolsonaro com Mandetta, que seguia protocolos sanitários internacionais contra a covid-19.

Na visão de Teich, o Brasil precisa “conhecer melhor a doença” para conseguir embasar as ações futuras nas consequências das medidas tomadas. Para o ministro, é necessário que se adote uma política ampla de testagem – que não chegou a ser detalhada por ele.

 

“O importante é que a gente tenha uma informação maior com o que acontece com as pessoas com cada ação que é tomada. O que é fundamental é que isso seja baseado em informação sólida. Quanto menos informação você tem, mais [você] é decidido por emoção”, discursou Teich ao lado de Bolsonaro, que, antes do novo ministro, fez uma longa fala sobre seu “divórcio consensual” com Mandetta e sobre as medidas adotadas pelos governadores.

Para salientar seu alinhamento com Bolsonaro, o ministro mencionou que a saúde e a economia “não competem” e que são “completamente complementares”, o que justificaria a corrida do governo para tentar estabelecer a volta à normalidade “o mais rápido possível”, segundo as palavras do médico.

O novo ministro deve trabalhar, a partir de agora, em um processo de transição, que deve ter mudanças na equipe técnica que estava com Mandetta até o momento.

Assista ao pronunciamento do presidente e do novo ministro da Saúde:

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem