Saúde

Mundo continua despreparado para enfrentar novas pandemias, adverte relatório

Os esforços de reformas para prevenir a ameaça de novas pandemias são lentos e fragmentados, o que deixa o mundo pouco preparado, como quando surgiu a covid-19, adverte um relatório divulgado nesta quarta-feira (18). Há um ano, um grupo de especialistas independentes apresentou um relatório […]

Inimigo implacável. A variante Ômicron põe em risco o controle da pandemia – Imagem: STR/AFP
Inimigo implacável. A variante Ômicron põe em risco o controle da pandemia – Imagem: STR/AFP
Apoie Siga-nos no

Os esforços de reformas para prevenir a ameaça de novas pandemias são lentos e fragmentados, o que deixa o mundo pouco preparado, como quando surgiu a covid-19, adverte um relatório divulgado nesta quarta-feira (18).

Há um ano, um grupo de especialistas independentes apresentou um relatório crítico na Assembleia anual da Organização Mundial da Saúde (OMS), o qual afirmava que a má coordenação e as decisões equivocadas permitiram que a pandemia de covid atingisse uma escala catastrófica.

Na época, o grupo independente, copresidido pela ex-primeira-ministra da Nova Zelândia Helen Clark e a ex-presidente da Libéria Ellen Johnson Sirleaf, elaborou uma lista de medidas necessárias para superar a covid e garantir que o mundo estivesse melhor preparado para enfrentar ameaças futuras.

Em um relatório de avaliação redigido um ano depois, no entanto, o grupo, que não está mais ativo, alerta que o mundo continua “brincando” e que a inação está criando “as bases para outra pandemia”.

“Temos, em grande medida, as mesmas ferramentas e o mesmo sistema que existia em dezembro de 2019 para responder a uma ameaça pandêmica”, disse Clark à imprensa.

“E não eram suficientemente bons”, completou.

Clark, porém, elogiou que o “trabalho de transformação necessário a nível mundial para prevenir a próxima pandemia já começou”, apontando como os novos mecanismos criados após o surgimento da covid possibilitaram a entrega de 1,5 bilhão de doses de vacinas aos países mais pobres.

Também elogiou os esforços em curso para diversificar a produção de vacinas e medicamentos antivirais.

Um acordo ainda é aguardado para que a OMS tenha a sua disposição um financiamento mais seguro e flexível, ao mesmo tempo que são traçados planos para a criação de um fundo específico para pandemias.

Mudanças estão sendo estudadas nas regras sanitárias internacionais, assim como um novo “instrumento jurídico” – como um tratado ou outra forma de acordo – para simplificar a abordagem mundial de preparação e a resposta a uma pandemia.

Mas Clark advertiu que todas as mudanças acontecem a um ritmo muito lento e que as modificações no orçamento da OMS não devem ser plenamente aplicadas por quase uma década.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.