Governo Bolsonaro é penúltimo em ranking de transparência

Levantamento da Transparência Internacional aponta falta de detalhamento das contratações emergenciais durante a pandemia

(Fotos: Andréa Rêgo Barros/PCR)

(Fotos: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Saúde

Novo levantamento da organização Transparência Internacional Brasil, divulgado nesta sexta-feira 31, mostra que o governo federal falha em fornecer dados completos sobre a epidemia de coronavírus, especialmente no que diz respeito às contratações emergenciais no combate à covid-19.

Para fazer a análise, o órgão verificou os sites, redes sociais e portais de transparência dos governos estaduais e do Distrito Federal, além de todas as 27 capitais.

O relatório é o terceiro do gênero publicado  – os outros dois foram publicados nos dias 29 de junho e 21 de maio -, e coloca a gestão de Jair Bolsonaro e do Ministério da Saúde no penúltimo lugar de transparência, à frente apenas de Roraima.

Em primeiro lugar, está o governo do estado do Ceará. Entre os municípios, Vitória, no Espírito Santo, é a melhor ranqueada. São Paulo, o estado com o maios casos confirmados e mortes provocadas pela covid-19, ocupa a 12ª colocação, com uma pontuação considerada “ótima” nos parâmetros estabelecidos pela organização.

São avaliados desde o formato aberto das informações – ou seja, a disponibilidade de fazer o download dos dados sobre casos, óbitos, testagens, contratos de leitos, profissionais, medicamentos e outros insumos – até a disponibilidade para a população de uma forma mais didática.

A análise feita pela organização diz que o governo federal peca em não disponibilizar dados precisos sobre compras, informações que estariam espalhadas em vários portais ligados a diferentes ministérios e autarquias.

“Outros sites trazem apenas números agregados que, embora possam ser úteis para fins estatísticos e de pesquisa, não facilitam o acompanhamento de contratações individuais pelas organizações da sociedade civil, jornalistas e órgãos de controle. São exemplos disso o Painel de Compras COVID-19 do Portal de Compras do governo federal e o Painel Contratações Relacionadas à COVID-19 da Controladoria-Geral da União (CGU)”, diz o texto.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem