União Europeia anuncia fechamento de fronteiras pelos próximos 30 dias

Presidente da Comissão Europeia declarou que medida vem para desafogar os sistemas de saúde na Europa

Ursula von der Leyen (Foto: Kenzo TRIBOUILLARD / AFP)

Ursula von der Leyen (Foto: Kenzo TRIBOUILLARD / AFP)

Mundo,Saúde

A União Europeia anunciou nesta segunda-feira 16 que irá fechar as fronteiras de todos os seus países-membros por um período inicial de 30 dias. A medida faz parte dos esforços realizados para diminuir a pressão sobre os sistemas de saúde dos países afetados. O continente europeu é, agora, o principal disseminador do Covid-19 no mundo, ao passo que os casos na China, epicentro original da doença, já apresentam uma importante redução nos novos casos diários.

O anúncio foi feito pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. “Os membros dos Estados tomaram medidas fortes para diminuir a disseminação do vírus, e elas são efetivas apenas quando coordenadas.”, disse a presidente em comunicado publicado nas redes sociais, pelo qual também explicou as exceções à regra de restrições.

Entre elas, estão familiares de cidadãos europeus, pessoas que possuem residência na UE há muito tempo, médicos, enfermeiros, diplomatas, cuidadores e pesquisadores que estejam debruçados sobre o Covid-19.

Além das restrições, a UE também enunciou esforços para conseguir transportar bens essenciais e mercadorias aos cidadãos para “deixar o setor de mobilidade ativo e garantir a continuidade da economia”, diz a postagem de von der Leyern.

Alguns dos 27 países-membros já estavam com suas fronteiras fechadas por conta do número alto de casos registrados em território interno ou nos vizinhos de fronteira. A Itália, agora, vive o momento mais crítico do isolamento social e do fechamento de suas fronteiras, já que encara mais de 24.700 casos e já registra cerca de 1800 mortes.

A Espanha também está em confinamento desde que o governo decretou estado de alerta e determinou sérias restrições de deslocamento aos habitantes por pelo menos 15 dias, em uma tentativa de conter a escalada de contágios.

Outros países tentam aumentar a proteção com o fechamento das fronteiras, como a Alemanha, que a partir desta segunda-feira 16 iniciou controles nos limites com cinco países (França, Áustria, Suíça, Dinamarca e Luxemburgo).

Considerada um símbolo, a Ponte da Europa, entre Estrasburgo (leste da França) e a localidade alemã de Kehl, marco da reconciliação no Velho Continente, virou uma área de fronteira estritamente controlada para tentar conter a crise do coronavírus e seus efeitos colaterais. A polícia permite apenas a passagem dos caminhões com mercadorias e dos trabalhadores que são obrigados a atravessar as fronteiras.

*Com AFP

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem