Brasil tem 5.717 casos e 201 mortes por coronavírus, diz Ministério da Saúde

Houve um aumento de 1.138 casos, o maior número de infectados confirmados em um dia até o momento

Foto: Mladen Antonov/AFP

Foto: Mladen Antonov/AFP

Saúde

O Brasil tem 5.717 casos confirmados de coronavírus e, até esta terça-feira 31, 201 mortes em decorrência da doença. Os dados foram atualizados pelo Ministério da Saúde e mostram um aumento de 1.138 casos em 24 horas – o maior salto até o momento.

São Paulo lidera o ranking, com 2.339 infectados e 136 óbitos, e vem seguido do Rio de Janeiro, com 708 casos confirmados e 23 mortes, e do Ceará, que confirma 390 casos e 7 mortes no estado.

Apesar de ter apenas 18 casos confirmados até o momento, o Piauí tem a maior taxa de mortalidade até o momento, já que 4 pessoas já morreram no estado – o que resulta em uma mortalidade de 22,2%.

No levantamento feito a partir da contagem liberada pelas secretarias estaduais de saúde, a última atualização apontava para 168 mortes e 4.715 casos da doença Covid-19, causada pelo vírus.

Segundo a contabilidade do Ministério, há 19.531 hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave no Brasil, o que representa um aumento de 149% em relação a 2019. Disso tudo, só 1.075 casos foram confirmados pra Covid-19 até o momento.

Medidas de isolamento ainda são as mais recomendadas por autoridades nacionais e internacionais de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), para controlar a crise. A medida vai contra o que afirmou o presidente Jair Bolsonaro, que omitiu parte de uma fala do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, e fez com que parecesse que o diretor não apoiava o isolamento.

“As pessoas sem renda regular ou qualquer colchão financeiro merecem políticas sociais que garantam a dignidade e lhes permitam cumprir as medidas de saúde pública recomendadas pelas autoridades nacionais de saúde e pela OMS”, escreveu Ghebreyesus nas redes.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem