Política

assine e leia

Violência/ Terror bolsonarista

Golpistas tentam invadir a sede da Polícia Federal, depredam delegacia e queimam três carros e cinco ônibus em Brasília

Imagem: Mateus Bonomi/Anadolu Agency/AFP
Apoie Siga-nos no

Revoltados com a diplomação do presidente Lula e com a prisão do cacique José Acácio ­Tserere ­Xavante, acusado de arregimentar indígenas para participar de atos golpistas, radicais bolsonaristas tentaram invadir a sede da Polícia Federal em Brasília, depredaram a 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte, e vandalizaram diferentes pontos da capital federal na noite da segunda-feira 12. A turba incendiou três automóveis e cinco ônibus, de acordo com um balanço divulgado pelo Corpo de Bombeiros na manhã seguinte.

A Polícia Militar precisou repelir os extremistas com bombas de efeito moral e balas de borracha, para impedir que eles empurrassem um ônibus incendiado de um viaduto. Mais cedo, bolsonaristas promoveram uma manifestação em frente ao Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente em exercício. Os militantes gritavam “fica, Bolsonaro” e “supremo é o povo”, além de ofensas a Lula. O ex-capitão chegou a se encontrar com os manifestantes, mas permaneceu em silêncio e limitou-se a participar de uma oração.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo