Mundo

Senado envia carta de desculpas à China após constrangimento com Eduardo

Senado segue Câmara dos Deputados e se desculpa por ofensas de Eduardo Bolsonaro ao país: ‘Nenhum obstáculo poderá separar nossos povos’

Foto: Pedro França/Agência Senado
Foto: Pedro França/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O Senado também se manifestou em relação à crise diplomática com a China, gerada após o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) culpabilizar o país pela pandemia do coronavírus, e enviou uma carta de desculpas ao presidente Xi Jinping em ofício publicado nesta quinta-feira 19.

Em movimento semelhante ao realizado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o Senado declarou “solidariedade” ao povo chinês pela doença, que matou mais de 3000 cidadãos, e pediram desculpas pela mensagem escrita pelo filho do presidente brasileiro.

Devido ao afastamento do presidente da Casa Davi Alcolumbre (DEM-AP), que foi testado positivo para a Covid-19 e se encontra em quarentena, ficou à cargo do vice Antonio Anastasia (PSD-MG) a função de transmitir o recado de desculpas ao embaixador Yang Wanming. O senador também pediu para que Wanming repassasse a carta ao presidente da República Popular da China, Xi Jinping.

Em ofício, Anastasia escreveu que “todos, indistintamente”, devem estar “juntos num único e definitivo combate” ao alastramento da Covid-19 pelo mundo.

“A experiência adquirida pela China será de fundamental importância no combate, no Brasil e no mundo, dessa grave enfermidade, sobretudo no tratamento prioritário ao fornecimento de equipamentos e insumos que possam ajudar na verdadeira “guerra” que todos somos parte”, diz a carta. “Nenhum obstáculo poderá separar nossos povos”, continua o texto. Leia-o completo.

Eduardo Bolsonaro, por sua vez, declarou que as manifestações de repúdio a sua mensagem foram “descabidas” e que ele não havia faltado com respeito à população chinesa, pois protestava apenas contra o governo. Ele também foi endossado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que pediu desculpas por parte do governo chinês.

Giovanna Galvani

Giovanna Galvani É repórter do site de CartaCapital.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.