CartaCapital

Eduardo Bolsonaro culpa China pelo coronavírus e embaixada responde: ‘contraiu vírus mental’

A fala do filho do presidente causou uma crise diplomática com o principal parceiro comercial do Brasil

Eduardo Bolsonaro quase foi alçado à embaixada em Washington. Foto: Paola de Orte/Agência Brasil
Eduardo Bolsonaro quase foi alçado à embaixada em Washington. Foto: Paola de Orte/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) fez o Brasil entrar em uma crise diplomática com a China, o principal parceiro comercial do país. O filho 03 do presidente resolveu seguir a linha de Donaldo Trump e culpou o país asiático pelo coronavírus.

“+1 vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas q salvaria inúmeras vidas. A culpa é da China e liberdade seria a solução”, disse o parlamentar ao compartilhar uma publicação que falava sobre a “culpa” do partido comunista chines pela pandemia. Eduardo é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.

Logo em seguida, o embaixada chinesa do Brasil respondeu as acusações feitas por Eduardo. “As suas palavras são extremamente irresponsáveis e nos soam familiares. Não deixam de ser uma imitação dos seus queridos amigos. Ao voltar de Miami, contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando a amizades entre os nossos povos”, disse.

O embaixador chines no Brasil, Yang Wanming, também se manifestou repudiando a fala de Eduardo e exigiu que ele retire imediatamente suas palavras e peça uma desculpa ao povo chinês. “Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty”, disse.

Alexandre Putti

Alexandre Putti
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.