Rodrigo Maia: “Abraham Weintraub é um desastre”

Em evento com investidores e economistas, o presidente da Câmara afirmou que o ministro da educação atrapalha o Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Política

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia(DEM-RJ), direcionou críticas ao ministro da educação, nesta quinta-feira 30, e disse que Abraham Weintraub “atrapalha o Brasil”.

“O ministro da Educação atrapalha o Brasil, atrapalha o futuro das nossas crianças, está comprometendo o futuro de muitas gerações. Cada ano que se perde com a ineficiência, com um discurso ideológico de péssima qualidade na administração, acaba prejudicando os anos seguintes. Mas quem demite e quem nomeia ministro é o presidente”, afirmou Maia após participar de um evento sobre economia e as reformas necessárias ao país em São Paulo.

As declarações de Maia vem num momento em que o ministro da educação está envolvido em questões polêmicas sobre o Enem e o Sisu. “Ele é um desastre, acho que atrapalha o futuro de milhões de crianças. A situação é grave. Mas se vai demitir ou não, eu não tenho preocupação com isso. Este não é o meu papel. Perguntaram minha opinião e eu falei”, disse Maia.

Durante participação em evento internacional em São Paulo, que reuniu investidores e economistas, o presidente da Câmara ainda afirmou que o ministro prejudica a relação com investidores. “Como faz para um investidor olhar para um ministro da Educação desse?”, questionou.

A relação entre o presidente da Câmara e o ministro da educação piorou desde que Rodrigo Dias foi exonerado do cargo de presidente do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). Dias havia sido indicado pelo presidente da Câmara.

Maia também direcionou críticas ao ministro do meio ambiente, Ricardo Salles. “Não sei o que o governo vai fazer com o ministro do Meio Ambiente. “Perdeu condições de ser interlocutor. Radicalizou demais”, disse, fazendo referência à falta de condições de Salles ser interlocutor com investidores.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem