Política

PGR cobra explicação de senador por gasto de R$ 3,9 mil em combustível em um dia

O MPF aponta possível ‘valor exorbitante’ e defende a intimação de Giordano (MDB-SP). O caso está no STF

O senador Giordano (MDB-SP). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

A Procuradoria-Geral da República pediu que o Supremo Tribunal Federal intime o senador Alexandre Luiz Giordano (MDB-SP) a explicar uma acusação por suposto uso indevido de verba indenizatória pelo exercício da atividade parlamentar. O ofício chegou na quinta-feira 18 à relatora, a ministra Cármen Lúcia.

Segundo o relato, Giordano teria abastecido em dois postos de combustíveis “em valores exorbitantes”, além de “promover despesas de alto valor em restaurantes e churrascarias de luxo”.

O Ministério Público Federal diz chamar a atenção a quantidade de combustível comprada pelo senador no mesmo dia: segundo a peça da PGR, foram 507,61 litros de gasolina e 188,67 litros de diesel em 19 de dezembro de 2022, “equivalente ao tanque de mais de 12 veículos de passeio”.

Há também uma menção a 2 de janeiro de 2023, com 324,35 litros de gasolina.

“Como elemento probatório, juntou-se notas fiscais emitidas pelo posto Auto Posto Mirante Ltda., nas datas de 19.12.2022 (valor total de R$ 3.940,78) e de 02.01.2023 (valor total de R$ 1.691,22)”, detalha o MPF.

“Diante desse quadro, como providência inicial, visando o melhor deslinde da apuração, mostra-se adequado franquear ao parlamentar noticiado a oportunidade para prestar esclarecimentos acerca do caso”, acrescenta o ofício, assinado pelo vice-procurador-geral da República Hindenburgo Chateaubriand Filho.

Giordano tomou posse no Senado em 31 de março de 2021, após a morte do titular Major Olímpio, em decorrência da Covid-19. O novo senador estava filiado ao PSL, após passar por PSDB e PV. Menos de cinco meses após assumir o mandato, ele ingressou no MDB.

A CartaCapital, o senador Alexandre Luiz Giordano afirmou que “a nota é referente a 15 dias de abastecimento” e que “estão polemizando algo que não condiz com a verdade de um dia apenas”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo