PF cumpre mandados de busca e apreensão na sede da Precisa Medicamentos

A empresa intermediou a compra de vacinas entre o Ministério da Saúde e a fabricante indiana Bharat Biotech

A Precisa Medicamentos intermediu a compra da vacina Covaxin, suspensa pela Anvisa. Foto: Indranil MUKHERJEE/AFP

A Precisa Medicamentos intermediu a compra da vacina Covaxin, suspensa pela Anvisa. Foto: Indranil MUKHERJEE/AFP

Política

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta sexta-feira 17, mandados de busca e apreensão na sede da Precisa Medicamentos, em São Paulo. 

A empresa é investigada pela CPI da Covid no Senado por ter intermediado a compra de imunizantes da farmacêutica indiana Bharat Biotech com o Ministério da Saúde. 

As medidas solicitadas pela Comissão foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. 

Os mandados estão sendo cumpridos em endereços em Barueri e em Itapevi, em escritórios da empresa e locais de armazenamento de distribuição de produtos.

Ainda nesta manhã o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues se manifestou no Twitter sobre a operação. 

Em depoimento à CPI, a diretora-executiva da Precisa, Emanuela Medrades, negou ter havido ilegalidade ou irregularidade nas negociações da Covaxin com o governo brasileiro.

No entanto, apesar de ser o imunizante mais caro de todos os outros oferecidos, valor quatro vezes maior que a vacina da Fiocruz, a AstraZeneca, foi negociado com maior agilidade. 

O Ministério da Saúde teria levado 97 dias para fechar o acordo, enquanto o contrato com a Pfizer levou 330 dias. A compra dos imunizastes indianos não foi concluída. 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem