Política

Pesquisadora encontra carta de Bolsonaro em portais neonazistas

No texto, o então deputado federal agradece o apoio e diz aos signatários que eles ‘são a razão da existência’ do seu mandato

Foto: EVARISTO SA / AFP
Apoie Siga-nos no

A antropóloga da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Adriana Dias, encontrou uma carta do presidente Jair Bolsonaro publicada em sites neonazistas brasileiros em 2004. A informação foi revelada pelo Intercept Brasil na quarta-feira 28.

O documento do então deputado federal, que foi encaminhado em 17 de dezembro de 2004, deseja ‘felicidades aos internautas’ pelo fim de mais um ano. No texto, Bolsonaro agradece ao apoio dado por eles e afirma que ‘são a razão da existência’ do seu mandato como parlamentar.

“Todo retorno que tenho dos comunicados se transforma em estímulo ao meu trabalho. Vocês são a razão da existência do meu mandato”, diz um trecho da mensagem.

Segundo a reportagem, a carta foi publicada apenas em sites neonazistas e não consta em mais nenhum lugar da internet.

Não é possível afirmar, porém, se ela foi encaminhada pelo e-mail funcional do deputado, nem se mais algum ‘internauta’ teria recebido a mensagem, já que a Câmara dos Deputados não permite acesso aos registros de e-mail sem uma decisão judicial.

Além da mensagem, os sites neonazistas também exibiam um banner com a foto de Jair Bolsonaro, conforme revela a pesquisadora. O clique levava diretamente ao site que o parlamentar mantinha na época.

A carta, a foto e o banner, segundo a reportagem, são as únicas menções a um político publicadas nos portais.

Os sites neonazistas que publicaram a mensagem do presidente atualmente estão fora do ar. A descoberta foi feita pelos registros físicos dos portais mantidos pela antropóloga, que há 20 anos pesquisa o tema e imprime todas as páginas antes de derrubá-las.

Ainda de acordo com a reportagem, uma outra carta de Bolsonaro teria sido enviada a um neonazista preso em Minas Gerais por simular o enforcamento de um morador de rua. O conteúdo da mensagem, no entanto, é desconhecido já que o processo corre em sigilo.

Confira a íntegra do texto da carta de Jair Bolsonaro publicada em sites neonazistas em dezembro de 2004:

Brasília-DF, 17 de dezembro de 2004.

Prezado(a) Companheiro(a),

Ao término de mais um ano de trabalho, dirijo-me aos prezados internautas com o propósito de desejar-lhes felicidades por ocasião das datas festivas que se aproximam, votos ostensivos aos familiares.

Todo retorno que tenho dos comunicados se transforma em estímulo ao meu trabalho. Vocês são a razão da existência do meu mandato. Em dezembro estou completando 16 anos de vida como parlamentar contra os 15 de efetivo serviço ao nosso glorioso Exército Brasileiro.

Outrossim, informo que, como última atividade no corrente ano, protocolei Requerimento no sentido de realizar Sessão Solene em homenagem aos militares das Forças Armadas assassinados no Araguaia. Caso deferido, a sessão contará com a honrosa presença do Coronel R/1 LICIO MACIEL, autor da prisão do “guerrilheiro de festim” José Genoíno.

Atenciosamente,

JAIR BOLSONARO

Deputado Federal – PFL/RJ

Sessão solene citada no e-mail foi realizada meses depois

A sessão solene de fato aconteceu em maio do ano seguinte, como destaca o registro da Câmara dos Deputados. O discurso de Jair Bolsonaro pode ser lido no site da Casa. Em notícia publicada no site do Senado Federal também é possível ler um relato da sessão.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo