Política

Parlamentares protocolam pedido de impeachment de Aras por crime de responsabilidade

Deputados e senadores argumentam que o PGR recebeu a nomeação para ‘imunizar’ Bolsonaro, além de proteger familiares e aliados do ex-capitão

O ex-procurador-geral da República, Augusto Aras. Foto: Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

Deputados e senadores do PSOL e da Rede Sustentabilidade protocolaram nesta quarta-feira 4 no Senado um pedido de impeachment do procurador-geral da República, Augusto Aras, por crime de responsabilidade.

Como justificativa, afirmam que Aras recebeu a nomeação à PGR para “imunizar” o presidente Jair Bolsonaro (PL), além de proteger familiares e aliados do ex-capitão.

Mencionam que a PGR não apresentou qualquer denúncia contra Bolsonaro e já arquivou 104 pedidos de investigação contra ele.

Os deputados se referem diretamente à postura de Aras em relação a possíveis crimes cometidos pelo presidente durante a pandemia.

Segundo eles, Aras “recusou-se praticar, inúmeras e reiteradas vezes, atos que lhe incumbiam (…), deixando de promover ações penais pela prática de crimes, inquéritos, ações de inconstitucionalidade e de realizar as apurações e diligências que lhe cabiam – em especial as denúncias e imputações oriundas da CPI da Covid”.

O documento, de 31 páginas, chegou nesta quinta às mãos do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), a quem cabe iniciar um processo de impedimento do chefe do Ministério Público Federal.

Assinam a peça o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, e os deputados do partido Sâmia Bonfim, Fernanda Melchionna, Ivan Valente, Vivi Reis, Áurea Carolina, Glauber Braga, Luiza Erundina e Taliria Petrone.

Pela Rede são signatários o senador Randolfe Rodrigues e os deputados Joenia Wapichana e Túlio Gadêlha.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.