Política

Pacheco lê requerimento para instalar CPI para investigar ONGs na Amazônia

Agora, a tendência é Pacheco oficie os líderes partidários a formalizarem as indicações para o colegiado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Pedro Gontijo/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), leu nesta terça-feira 4 o requerimento que pede a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a atuação de ONGs na Amazônia. O texto é de autoria do senador Plínio Valério (PSDB-AM).

No documento, o parlamentar justifica a abertura do colegiado com base em supostas “denúncias de existência de ‘ONGs de fachada’, cujos reais propósitos seriam repassar recursos a partidos políticos ou mesmo a particulares”.

O requerimento de CPI das ONGs possui apoio de 37 senadores, dez a mais que o mínimo necessário. A CartaCapital, Valério disse que o colegiado não tem o objetivo de “demonizar as organizações não-governamentais”.

“Vamos investigar a fundo, sim, essas ONGs suspeitas. Mas não vamos demonizar nenhuma ONG. Existem ONGs sérias, essas serão preservadas. Vamos investigar aquelas ONGs denunciadas, que pegam dinheiro lá fora e aqui dentro, não prestam contas, e gastam entre si 80% do que arrecadam”, diz à reportagem. “Vamos abrir essa ‘caixa preta’ pra colocar para o Brasil o que verdadeiramente se passa nesses bastidores”.

Agora, a tendência é que Pacheco oficie os líderes partidários a formalizarem as indicações para o colegiado. A CPI será composta por 11 titulares e 7 suplentes.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo