Política

Oposição usa ‘matéria fantasiosa’ da Veja para atacar Lula, dizem aliados

Dirigentes do PSDB, PPS e DEM não hesitam em recorrer a práticas golpistas, dizem partidos aliados após a nota à ‘Veja’

Apoie Siga-nos no

Os partidos da base aliada divulgaram uma nota de repúdio nesta quinta-feira 20 contra os dirigentes do PSDB, DEM e PPS que, segundo o documento, “tentaram comprometer a honra e a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva” valendo-se de “fantasiosa matéria veiculada pela revista Veja”.

Foi uma resposta à carta dos líderes da oposição na qual se comprometiam a pedir investigações às autoridades sobre as declarações atribuídas ao publicitário Marcos Valério na última edição da semanal. A reportagem disse ter conversado com “amigos, parentes e associados” de Valério para relatar a vontade do empresário de detalhar a suposta participação do ex-presidente Lula no esquema do chamado “mensalão”, hoje julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

Na nota, os oposicionistas pediam para a revista liberar as gravações da suposta entrevista com Valério – algo que jamais aconteceu.

Como resposta, os presidentes do PT, PSB, PMDB, PCdoB, PDT e PRB dizem que os opositores “pretendem transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de fontes sem identificação”. Comparam a postura a “práticas golpistas” das quais foram vítimas presidentes como Getúlio Vargas e João Goulart. E criticam a oposição por tentar “confundir a opinião pública” com o julgamento do chamado “mensalão”.

Confira a íntegra da nota:

 

O PT, PSB, PMDB, PCdoB, PDT e PRB, representados pelos seus presidentes nacionais, repudiam de forma veemente a ação de dirigentes do PSDB, DEM e PPS que, em nota, tentaram comprometer a honra e a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Valendo-se de fantasiosa matéria veiculada pela Revista Veja, pretendem transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de fontes sem identificação.

As forças conservadoras revelam-se dispostas a qualquer aventura. Não hesitam em recorrer a práticas golpistas, à calúnia e à difamação, à denúncia sem prova.

O gesto é fruto do desespero diante das derrotas seguidamente infligidas a eles pelo eleitorado brasileiro. Impotentes, tentam fazer política à margem do processo eleitoral, base e fundamento da democracia representativa, que não hesitam em golpear sempre que seus interesses são contrariados.

Assim foi em 1954, quando inventaram um “mar de lama” para afastar Getúlio Vargas. Assim foi em 1964, quando derrubaram Jango para levar o País a 21 anos de ditadura. O que querem agora é barrar e reverter o processo de mudanças iniciado por Lula, que colocou o Brasil na rota do desenvolvimento com distribuição de renda, incorporando à cidadania milhões de brasileiros marginalizados, e buscou inserção soberana na cena global, após anos de submissão a interesses externos.

Os partidos da oposição tentam apenas confundir a opinião pública. Quando pressionam a mais alta Corte do País, o STF, estão preocupados em fazer da ação penal 470 um julgamento político, para golpear a democracia e reverter as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula .

A mesquinharia será, mais uma vez, rejeitada pelo povo.  

Rui Falcão, PT

Eduardo Campos, PSB

Valdir Raupp, PMDB

Renato Rabelo, PCdoB

Carlos Lupi, PDT

Marcos Pereira, PRB.

Brasília, 20 de setembro de 2012.

Os partidos da base aliada divulgaram uma nota de repúdio nesta quinta-feira 20 contra os dirigentes do PSDB, DEM e PPS que, segundo o documento, “tentaram comprometer a honra e a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva” valendo-se de “fantasiosa matéria veiculada pela revista Veja”.

Foi uma resposta à carta dos líderes da oposição na qual se comprometiam a pedir investigações às autoridades sobre as declarações atribuídas ao publicitário Marcos Valério na última edição da semanal. A reportagem disse ter conversado com “amigos, parentes e associados” de Valério para relatar a vontade do empresário de detalhar a suposta participação do ex-presidente Lula no esquema do chamado “mensalão”, hoje julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

Na nota, os oposicionistas pediam para a revista liberar as gravações da suposta entrevista com Valério – algo que jamais aconteceu.

Como resposta, os presidentes do PT, PSB, PMDB, PCdoB, PDT e PRB dizem que os opositores “pretendem transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de fontes sem identificação”. Comparam a postura a “práticas golpistas” das quais foram vítimas presidentes como Getúlio Vargas e João Goulart. E criticam a oposição por tentar “confundir a opinião pública” com o julgamento do chamado “mensalão”.

Confira a íntegra da nota:

 

O PT, PSB, PMDB, PCdoB, PDT e PRB, representados pelos seus presidentes nacionais, repudiam de forma veemente a ação de dirigentes do PSDB, DEM e PPS que, em nota, tentaram comprometer a honra e a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Valendo-se de fantasiosa matéria veiculada pela Revista Veja, pretendem transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de fontes sem identificação.

As forças conservadoras revelam-se dispostas a qualquer aventura. Não hesitam em recorrer a práticas golpistas, à calúnia e à difamação, à denúncia sem prova.

O gesto é fruto do desespero diante das derrotas seguidamente infligidas a eles pelo eleitorado brasileiro. Impotentes, tentam fazer política à margem do processo eleitoral, base e fundamento da democracia representativa, que não hesitam em golpear sempre que seus interesses são contrariados.

Assim foi em 1954, quando inventaram um “mar de lama” para afastar Getúlio Vargas. Assim foi em 1964, quando derrubaram Jango para levar o País a 21 anos de ditadura. O que querem agora é barrar e reverter o processo de mudanças iniciado por Lula, que colocou o Brasil na rota do desenvolvimento com distribuição de renda, incorporando à cidadania milhões de brasileiros marginalizados, e buscou inserção soberana na cena global, após anos de submissão a interesses externos.

Os partidos da oposição tentam apenas confundir a opinião pública. Quando pressionam a mais alta Corte do País, o STF, estão preocupados em fazer da ação penal 470 um julgamento político, para golpear a democracia e reverter as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula .

A mesquinharia será, mais uma vez, rejeitada pelo povo.  

Rui Falcão, PT

Eduardo Campos, PSB

Valdir Raupp, PMDB

Renato Rabelo, PCdoB

Carlos Lupi, PDT

Marcos Pereira, PRB.

Brasília, 20 de setembro de 2012.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo