Política

O possível papel da mulher do General Villas Bôas na reunião do golpe

A Polícia Federal estaria tentando entender o grau de envolvimento de Maria Aparecida Villas Bôas no encontro do dia 12 de novembro; ela não é, contudo, investigada

O general Villas Bôas abandona a moderação (Foto: ABr)
Apoie Siga-nos no

A Polícia Federal tenta entender o grau de envolvimento de Maria Aparecida Villas Bôas, esposa do ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas, na reunião preparatória do golpe, organizada por aliados do então presidente Jair Bolsonaro (PL).

As informações são da jornalista Andreia Sadi, colunista do G1. O encontro teria ocorrido em 12 de novembro de 2022, dias após o segundo turno das eleições, em um prédio localizado na Asa Sul, bairro nobre de Brasília.

A linha de investigação consta da transcrição do depoimento de Tercio Arnaud Tomaz, um dos ex-auxiliares de Bolsonaro investigado na Operação Tempus Veritatis (Hora da Verdade, em latim).

Os investigadores o questionaram sobre uma suposta intervenção feita por Cida, como é conhecida, no encontro. Arnaud, contudo, afirmou não ter participado da reunião e não forneceu detalhes sobre o encontro.

Essa mesma pergunta foi apresentada no depoimento do coronel aposentado Cleverson Ney Magalhães, que também não respondeu.

“Indagado qual foi a fala proferida por Cida Villas Bôas (Maria Aparecida Villas Bôas), esposa do general da reserva Eduardo Villas Bôas, respondeu que o declarante não sabe que fala foi essa, que o declarante não conhece pessoalmente Cida Villas Bôas”, diz a transcrição do depoimento de Arnaud.

Os detalhes dos depoimentos de militares e civis no bojo do inquérito que apura uma articulação pró-golpe de Estado após a vitória de Lula (PT), em 2022, se tornaram públicos por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Cida Villas Bôas visitou o acampamento montado em frente ao QG do Exército, em Brasília, no dia 28 de dezembro de 2022. Ela estava a bordo de uma van adaptada para deficientes físicos e, ao acenar para os bolsonaristas, fez gestos que sugeriam a presença do marido no interior do veículo.

Ela não é investigada formalmente no inquérito e ainda não se manifestou sobre o caso.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo