Política

“Negros são mortos por serem maioria no tráfico”, diz deputado do PSL

Coronel Tadeu é acusado de racismo por ter quebrado uma placa que denunciava mortes de jovens negros por policiais

Deputado coronel Tadeu quebrou uma placa em homenagem ao dia da Consciência Negra
Deputado coronel Tadeu quebrou uma placa em homenagem ao dia da Consciência Negra
Apoie Siga-nos no

O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) afirmou, após quebrar uma placa em uma exposição da Câmara em homenagem à Consciência Negra, que mortes de jovens negros por policiais podem ser explicadas pela maior presença de negros no tráfico de drogas.

“O tráfico absorve uma boa parte das pessoas que moram nas comunidades, e a maioria dessas pessoas é de origem negra.  Portanto, o resultado disso é que, em confronto com policiais, as [pessoas] que estão no tráfico acabam sendo vitimadas. E aí, se a maioria é negra, o resultado só pode ser esse.”, argumentou Tadeu.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o parlamentar negou as acusações de racismo e justificou dizendo que possui amigos negros. “De forma alguma. Eu nunca fui racista. Meus colegas de infância são uma maioria da raça negra, meus amigos são da raça negra e eu sinto bastante orgulho de ter essas pessoas próximas a mim”, disse.

Ele declarou ainda que não teme ser punido no Conselho de Ética e, após ser acusado de racismo pela oposição, disse que não se enxerga dessa forma.

“Claro que eles [a oposição] faz o jogo deles e eles vão me acusar de racista, fascista, tudo que é “ista”.  Eu não preciso estar bem com eles, eu preciso estar bem com minha consciência. Eu durmo tranquilo”, afirmou.

Alexandre Putti

Alexandre Putti
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.