“Não houve ditadura, mas alguns probleminhas”, diz Bolsonaro na TV

Presidente vai a programa de televisão para defender o golpe de 1964

Bolsonaro e Araújo: Qual a graça (Foto: Marcos Côrrea/PR)

Bolsonaro e Araújo: Qual a graça (Foto: Marcos Côrrea/PR)

Política

Em entrevista a programa da TV Bandeirantes na tarde desta quarta 27, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que “não houve ditadura no Brasil”, mas “alguns probleminhas”. Para ele, o período tido como um dos mais nefastos da história do país foi, na verdade, um obstáculo para que o Brasil não se tornasse comunista.

O presidente, fã confesso de ditadores aqui e de nossos vizinhos, citou uma passagem bíblica (“Conhecerais a verdade e a verdade vos libertará”) e seguiu um “regime nenhum é uma maravilha”. “Onde você viu uma ditadura entregar o governo de forma pacífica? Então não houve ditadura”, esbravejou.

A semana foi marcada pela determinação de Bolsonaro para que unidades militares celebrassem, no próximo domingo 31, os 55 anos do golpe. Uma claque formada por gente como o chanceler Ernesto Araújo e a deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP) deram coro ao desvario.

Leia também: Vítimas da ditadura querem barrar homenagens de Bolsonaro ao golpe

De forma praticamente imediata, órgãos públicos se manifestaram repudiando a decisão do presidente. A Defensoria Pública da União protocolou uma ação civil para que a Justiça Federal proíba o governo e as Forças Armadas de realizar qualquer tipo de ato. O Ministério Público Federal emitiu uma nota defendendo que a ação presidencial fere o Estado Democrático de Direito e que pode configurar crime de responsabilidade.

Leia também: Após ameaça de protestos, Bolsonaro cancela visita ao Mackenzie

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Estagiária de Jornalismo de CartaCapital.com.br

Compartilhar postagem