Na ONU, Damares denuncia ataques à fé cristã durante o carnaval

No Conselho de Direitos Humanos, Ministra disse que serão promovidas campanhas de conscientização para proteger objetos religiosos e a fé

A ministra Damares Alves. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A ministra Damares Alves. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Cultura,Política

A ministra de Direitos Humanos e da Família, Damares Alves, afirmou durante evento destinado a debater a liberdade religiosa em Genebra, na sede da ONU, que o carnaval brasileiro promoveu uma “afronta à fé cristã”. As informações são do colunista Jamil Chade, do UOL.

Segundo apurou a coluna, a ministra prometeu uma campanha de conscientização para proteger objetos religiosos e a fé. “Infelizmente hoje, exatamente hoje, o Brasil está vendo seus dias de carnaval”, afirmou. “E o que estamos vendo nas festas de carnaval, infelizmente, é uma afronta e um desrespeito à fé cristã”, atacou.

 

A ministra continuou: “E fica aqui nosso manifesto, quando, em nome da arte, em nome da liberdade de expressão, inclusive em nome da liberdade de imprensa, estamos vendo objetos de culto da fé cristã sendo de uma forma vil ridiculizardes no Brasil”.

Ainda de acordo com o colunista, a ministra não esclareceu quais episódios teriam promovido afronta, nem quais objetos teriam sido desrespeitados. Questionada, ela apenas teria respondido: “Um monte. Não pense apenas nas escolas de samba. É no Brasil como um todo, em blocos”, disse, confessando que havia recebido muitas fotos pelo celular enquanto estava em Genebra.

Damares voltou a afirmar que serão desenvolvidas campanhas de orientação. “Dói. Machucar a fé cristã dói”, disse.  “Você já imaginou uma velhinha la do interior que ama Nossa Senhora, vendo Nossa Senhora sendo ridicularizada. Aquilo dói”, insistiu. “O meu direito de me divertir não me da o direito de machucar quem está la. Queremos um carnaval sem dor”, completou”.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem