Moro: “Preservar a Polícia Federal é questão institucional, não de relacionamento”

Moro respondeu à publicação de Bolsonaro, que mais cedo insinuou ingratidão do ex-ministro ao relembrar o apoio dado a ele na 'Vaza Jato'

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Política

Pouco tempo depois de Jair Bolsonaro relembrar nas redes sociais o apoio dado a Sergio Moro durante a “Vaza Jato”, o agora ex-ministro da Justiça e Segurança Pública decidiu usar a mesma plataforma para responder às insinuações de ingratidão. Na sexta-feira 24, Moro deixou o governo alegando interferência política de Bolsonaro em seu trabalho.

“Também apoiei o presidente da República quando ele foi injustamente atacado. Mas preservar a Polícia Federal de interferência política é uma questão institucional, de Estado de Direito, e não de relacionamento pessoal”, escreveu Moro em seu perfil no Twitter.

No post, Moro também anexou um link antigo do portal R7 que noticiava o pedido de investigação feito por ele à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à Polícia Federal (PF) para apurar um “possível equívoco na investigação conduzida no Rio de Janeiro envolvendo o nome de Bolsonaro” no caso Marielle.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem