Política

Michelle segue estratégia e discursa no lugar de Bolsonaro em evento no Planalto

O comitê de campanha de Bolsonaro cobra mais participação da primeira-dama como forma de reduzir a rejeição do presidente no eleitorado feminino

Primeira-dama Michelle Bolsonaro. Foto: PR
Primeira-dama Michelle Bolsonaro. Foto: PR
Apoie Siga-nos no

Em um ato inusitado, o discurso final de cerimônia desta segunda-feira, 25, no Palácio do Planalto coube à primeira-dama Michelle Bolsonaro – e não ao presidente Jair Bolsonaro (PL), como de costume. O chefe do Executivo sequer se pronunciou no evento para marcar a conscientização da Fibrodisplasia Ossificante (FOP), uma doença rara.

A participação de Michelle vem no momento em que o comitê de campanha de Bolsonaro cobra mais participação da primeira-dama no governo e nas atividades políticas, como forma de reduzir a rejeição do presidente no eleitorado feminino. A solenidade no Planalto foi rápida e também contou com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Michelle agradeceu ao ministro “pelo olhar sensível” e por “ouvir as famílias” de quem tem o diagnóstico de FOP.

Em ato publicado hoje, o governo institui o Dia de Conscientização da Fibrodisplasia Ossificante (FOP), que será celebrado todo dia 23 de abril. “O diagnóstico precoce, na sala de parto ou nas primeiras consultas pediátricas, pode ajudar a reduzir o impacto da doença sobre a vida e desenvolvimento da criança”, diz nota do ministério da Saúde.

Também conhecida como miosite ossificante progressiva, a FOP é uma doença incurável que incide uma em 1,4 milhão de pessoas na qual os músculos e o tecido conjuntivo são gradativamente substituídos por tecido ósseo.

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.