Marina Silva ataca ministro Ricardo Salles: “É um antiambientalista”

Na avaliação da ex-ministra, Salles aceitou tarefa de 'destruir a governança ambiental brasileira'

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Política

Ministra do Meio Ambiente durante os governos Lula, Marina Silva afirmou que o ministro Ricardo Salles é um “antiambientalista” que aceitou “a tarefa de destruir a governança ambiental brasileira”. A declaração ocorreu em entrevista ao site BBC News Brasil, publicada nesta sexta-feira 23.

Na avaliação de Marina, falas do presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobre o envolvimento de ONGs em queimadas na Amazônia não têm credibilidade e agravam o problema do desmatamento.

“Esse tipo de declaração não é verossímil, não tem condição. A sensação que eu tenho é que o presidente parece inconscientemente incompetente sobre esses assuntos”, criticou. “O ministro Salles é um antiambientalista. Ele é o operador da inconsciência da incompetência do Bolsonaro.”

Para ela, a gestão de Ricardo Salles foi responsável pelo desmonte de importantes órgãos públicos que atuam na área ambiental.

“Ele cometeu todos os erros. O principal erro foi ter aceitado a nomeação, não sendo um ambientalista. O segundo erro foi o de, não sendo um ambientalista, ter aceitado a tarefa de destruir a governança ambiental brasileira”, atacou. “Isso diz tudo. Ele desmontou o Serviço Florestal, a Secretaria de Mudanças Climáticas, a Agência Nacional de Águas. Ele desmoraliza a ação dos agentes públicos da área ambiental do Inpe. É algo que não tem padrão.”

Ela observa que, apesar de incêndios sempre existirem, nunca foram incentivados e suscitados pelo governo, como um discurso público desde a campanha. Em sua visão, o atual governo faz “apologia à desconstrução da gestão ambiental do Brasil”.

“É a primeira vez que você tem um governo que diz que vai acabar com o ministério, não acaba [com ele] do ponto de vista legal, mas acaba do ponto de vista prático. Disse que não ia sair do Acordo de Paris, porque teve pressão inclusive do agronegócio para não sair, e na prática já saiu, porque o que está acontecendo hoje faz com que o Brasil não consiga alcançar as metas com as quais nos comprometemos”, afirmou.

O partido de Marina, Rede Sustentabilidade, deve protocolar, no Supremo Tribunal Federal (STF), um pedido de afastamento do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Segundo o senador Fabiano Contarato (Rede-ES), Salles cometeu crime de responsabilidade nas suas decisões no cargo e realizou atos incompatíveis com a função “ao perseguir agentes públicos”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem