Política

Marcos do Val diz que pedirá afastamento de Moraes de inquérito sobre o 8 de Janeiro

O senador contestou informações fornecidas pelo ministro do STF durante evento internacional

O senador Marcos do Val. Foto: Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) anunciou que pedirá à Procuradoria-Geral da República o afastamento do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, da relatoria do inquérito sobre os atos antidemocráticos. A declaração ocorreu em entrevista à CNN Brasil, nesta sexta-feira 3.

O parlamentar contestou o magistrado e negou ter sido orientado a formalizar o seu depoimento na investigação do STF, no qual reportaria a reunião com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em que teriam tratado sobre um plano de incriminar Moraes por meio de uma gravação de áudio.

Mais cedo, em um evento internacional, Moraes admitiu ter se reunido com Marcos do Val.

Na ocasião, teria sido alertado pelo parlamentar sobre a ideia de gravar declarações suas de forma secreta para, em seguida, usar o registro para difamá-lo. No entanto, Moraes disse ter pedido que Marcos do Val reportasse o relato em um depoimento, e o próprio congressista teria recusado.

“Em momento algum ele me disse para fazer um registro oficial da situação”, respondeu Marcos do Val, na televisão. “Não fui orientado nem em mensagens, nem no encontro presencial.”

O senador também afirmou ter solicitado que a Polícia Federal tenha acesso às mensagens entre Moraes e o ex-deputado federal Daniel Silveira. Dessa forma, disse o parlamentar, Moraes teria de ser afastado da relatoria, por ser incluído nos autos do processo.

Nesta semana, Do Val contou ter sido estimulado por Bolsonaro e Silveira a tramar uma tentativa de golpe. No evento em Lisboa, Moraes ironizou e chamou o plano de “Operação Tabajara”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo