Política

Lula confirma reajuste em bolsas de pesquisa com críticas ao retrocesso sob Bolsonaro

Na cerimônia, o presidente afirmou estar ‘proibido’ tratar como gasto o investimento em educação, saúde e ciência

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia em Brasília. Foto: Ricardo Stuckert/PR
Apoie Siga-nos no

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirmou, durante cerimônia no Palácio do Planalto nesta quinta-feira 16, o reajuste de 40% no valor das bolsas de mestrado e doutorado em todo o País.

Na solenidade, o governo também anunciou a ampliação em 26% no número de bolsas de mestrado e doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, a Capes. Os valores serão pagos a partir de março.

A cerimônia contou com a presença de ministros, entre eles Camilo Santana (Educação) e Luciana Santos (Ciência e Tecnologia); do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPq, Ricardo Galvão; e de representantes de entidades estudantis, como a Associação Nacional de Pós-Graduandos e a União Nacional dos Estudantes.

Ao discursar, Lula criticou o que chamou de “retrocesso” da gestão de Jair Bolsonaro (PL) e afirmou estar “proibido” tratar como gasto o investimento em educação, saúde e ciência.

“Queria apenas dizer que nunca pensei que um país pudesse retroceder em todas as áreas, da economia à educação, do trabalho ao investimento. O País sofreu um retrocesso que nunca antes na história do Brasil aconteceu”, declarou o petista. “É importante vocês saberem que a gente vai fortalecer outra vez a educação, a começar pelo ensino fundamental. Da creche à universidade“.

O aumento nas bolsas já havia sido anunciado pelo governo. Atualmente, a bolsa de mestrado no Brasil é de 1.500 reais. Com o reajuste, passará para 2.100 reais. No caso da bolsa de doutorado, que atualmente é de 2.200 reais, o valor subirá para 3.100 reais. Com o acréscimo de 25%, as bolsas de pós-doutorado sairão de 4.100 para 5.200 reais.

No caso das bolsas de iniciação científica no ensino médio, o reajuste deverá ser de 200%. Atualmente, o valor é de 100 reais por mês. Com o aumento, passará para 300 reais.

As bolsas para formação de professores da educação básica receberão, segundo o governo, reajustes entre 40% e 75%. Atualmente, essa modalidade é de 400 a 1.500 reais.

Criada em 2013, a Bolsa Permanência, voltada a estudantes quilombolas, indígenas e alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica, recebeu um aumento de 55% a 75%. Com isso, o valor do auxílio sai de 400 para 900 reais.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.