Lula: ‘A pesquisa mostra que podemos ganhar e recuperar este País’

Após plenária virtual, o ex-presidente disse ter 'a mesma vontade' de quando venceu as eleições, 'mas com mais sabedoria'

O ex-presidente Lula. Foto:  Filippo Monteforte/AFP

O ex-presidente Lula. Foto: Filippo Monteforte/AFP

Política

O ex-presidente Lula participou, na tarde desta sexta-feira 21, de uma plenária virtual com quase mil pessoas que atuaram nas campanhas ‘Lula Livre’. Ao final da reunião, que durou cerca de três horas, o petista analisou a situação do País e o levantamento Vox Populi divulgado hoje. Segundo ele, “a pesquisa mostra que podemos ganhar e recuperar este País”.

 

 

De acordo com o levantamento, Lula tem 43% das intenções de voto, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro, com 24%. Na sequência vêm Ciro Gomes, com 5%, e Luciano Huck, com 8%. No caso da escolha espontânea, Lula aparece com 33%, Bolsonaro com 19% e Ciro Gomes com 2%.

“Só posso voltar a ser candidato se for para fazer mais do que eu já fiz”, declarou, ponderando que não lançou sua candidatura mas está à disposição para “devolver a qualidade de vida ao povo brasileiro”.

“O que aconteceu neste País foi tão grave que jamais imaginei que pudesse ver o povo brasileiro eleger um homem da qualidade nefasta que tem Bolsonaro”, acrescentou.

Nesta sexta, Bolsonaro voltou a atacar Lula após a divulgação de uma foto dele com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

“Estou com muita vontade e disposição de derrubar os fascistas deste País e sermos felizes no Brasil novamente. Estamos no começo de uma luta em que é preciso muita disposição. Não temos o direito de desfocar ou ficarmos quietos nenhum dia”, declarou Lula. Ao compartilhar informações sobre sua rotina de exercícios físicos, disse ter “a mesma vontade de quando ganhei as eleições, mas com mais sabedoria”.

O ex-presidente também comentou a anulação, pelo Supremo Tribunal Federal, de suas condenações na Lava Jato e criticou o ex-coordenador da operação Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sergio Moro. Para Lula, “a vida deve estar muito difícil para quem mentiu contra ele” e Moro agora “vai saber o custo que é ser traíra”.

Por outro lado, deixou uma mensagem aos aliados presentes na plenária: “Ontem o Zé de Abreu me ligou e me disse sobre um trecho da novela que ele gravou: o primeiro a pedir perdão é o mais corajoso, o primeiro a perdoar é o mais sábio e o primeiro a esquecer é o mais feliz. Acho uma boa frase para balizar o nosso comportamento”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter da revista CartaCapital

Compartilhar postagem