Política

Janones retira candidatura à Presidência e confirma apoio a Lula

‘Estamos juntos agora’, disse o deputado federal após se reunir com o ex-presidente

Lula e André Janones. Fotos: Ricardo Stuckert e Reprodução/Redes Sociais
Lula e André Janones. Fotos: Ricardo Stuckert e Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O candidato do Avante à Presidência, André Janones, sacramentou nesta quinta-feira 4 o apoio a Lula (PT) já no primeiro turno das eleições. O desfecho das conversas ocorreu em São Paulo, em uma reunião da qual participaram, entre outros, o vice na chapa petista, Geraldo Alckmin, e a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann.

Em transmissão nas redes sociais depois do encontro, Janones anunciou: “Estamos juntos agora”. Lula, por sua vez, afirmou que “juntamos a fome com a vontade de comer”.

O diálogo público entre Lula e Janones começou em 28 de julho, quando o deputado federal publicou nas redes sociais um texto no qual declarou ter se lançado à disputa para “mudar a vida das pessoas”. Mencionou o combate à fome e a necessidade de um auxílio permanente de 600 reais, “sem fazer disso moeda de troca em período eleitoral”. Também afirmou ter se apresentado como candidato para “defender a democracia brasileira, que hoje corre risco”.

Ao responder ao post, Lula escreveu: “Fico feliz. Essa também é a causa que me motiva na política, estamos juntos nisso. Vamos conversar”.

Dias depois, após conversar com Lula por telefone, Janones afirmou que abdicaria de sua candidatura se o ex-presidente se comprometesse a incluir no programa de governo algumas de suas propostas, como o auxílio de 600 reais.

“O Lula está encampando também essa luta junto conosco, com a nossa candidatura, que, neste momento, a gente retira”, disse Janones na live desta quinta.

Logo em seguida, Lula usou as redes sociais para afirmar que “infelizmente a fome não saiu da pauta no Brasil”.

“Hoje temos gente de classe média usando cartão de crédito para ter o que comer”, prosseguiu o pestista. “O companheiro Janones construiu sua trajetória debatendo em supermercados e feiras. Quando ele traz uma proposta para acabar com a fome, fica fácil de construir uma aliança política.”

Uma pesquisa Quaest divulgada na última quarta-feira 3 apontou André Janones com 2% das intenções de voto, o mesmo índice registrado por Simone Tebet (MDB). Lula aparece na liderança, com 44%, 12 pontos percentuais à frente do segundo colocado, Jair Bolsonaro (PL).

Além das intenções de voto e de um peso político, Janones pode ajudar Lula nas redes sociais. Segundo um levantamento da Novelo Data divulgado pelo jornal O Globo, o parlamentar mineiro foi responsável por seis das dez principais publicações no Facebook sobre o Auxílio Brasil, enquanto Jair Bolsonaro tem três.

Janones tem 1,4 milhão de seguidores no YouTube e 8 milhões no Facebook. Lula tem, respectivamente, 510 mil e 5 milhões de seguidores.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.