Política

Ipespe: Haddad lidera todos os cenários em SP e chega a 38% com apoio de Lula e Alckmin

Na pesquisa, o petista é seguido por França, Boulos, Tarcísio de Freitas e o atual governador Rodrigo Garcia

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Foto: Ricardo Stuckert
Apoie Siga-nos no

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) lidera a disputa pelo governo do estado, de acordo com a pesquisa Ipespe divulgada nesta sexta-feira 18.

O levantamento mostra o petista, no primeiro cenário, com 20% das intenções de voto, empatado com o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido), que deve ser o vice de Lula na eleição presidencial.

Na sequência aparecem Márcio França (PSB) com 12%, Guilherme Boulos (PSOL) com 10%, Tarcísio de Freitas com 7% e Rodrigo Garcia (PSDB) com 7%.

Em um segundo cenário, sem Alckmin, Haddad aparece com 28%, seguido por França com 18%, Guilherme Boulos com 11%, Tarcísio de Freitas com 10% e Rodrigo Garcia com 5%.

Em um terceiro cenário, sem Haddad, o líder é Márcio França que fica com 31%, contra 15% de Tarcísio Freitas e 6% de Garcia.

Quando se exclui França da disputa, Haddad chega a 33%, Tarcísio vai a 16% e Garcia fica com 7%.

O levantamento mostra ainda que o petista chega a 38% das intenções de voto quando apoiado por Lula e por Alckmin.

PT e PSB, que tentam formar uma federação com o PCdoB e o PV, discutem qual nome deve disputar o governo de São Paulo. Os concorrentes sãos Haddad e França. O resultado do levantamento pode pesar a favor do petista.

Em entrevista a CartaCapital, França chegou a dizer que tem mais chances de vitória do que o adversário.

No PT, a discussão, no momento, não é vista com prioridade. Segundo a presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, os acordos antes devem ser fechados no Espírito Santo e no Rio Grande do Sul.

Leia a pesquisa completa.

2022_02 PESQUISA IPESPE SAO PAULO

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo