Intercept: em áudio, Dallagnol celebra suspensão de entrevista de Lula

'A notícia é boa, para terminar bem a semana', disse o procurador, após diálogos que mostram preocupação com eleição do PT

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Política

No dia que marca um mês do início dos vazamentos sobre a Lava Jato, o site The Intercept Brasil publicou um áudio em que o procurador Deltan Dallagnol comemora, no dia 28 de setembro de 2018, a decisão do ministro Luiz Fux que suspendeu a entrevista do ex-presidente Lula à imprensa. A gravação teria sido enviada a um grupo no aplicativo Telegram, com outros procuradores da força-tarefa. A reportagem reforça a tese de que havia atuação política por parte dos procuradores contra o petista.

Os diálogos mostram que, pela manhã, procuradores já expunham preocupação com a veiculação de uma entrevista com Lula e, a partir disso, uma possível eleição do PT na corrida presidencial. “Ando muito preocupada com uma possível volta do PT, mas tenho rezado muito para Deus iluminar nossa população para que um milagre nos salve”, teria dito a procuradora Anna Carolina Resende, no grupo. Dallagnol teria respondido, por escrito: “Valeu Carol! Reza sim. Precisamos como país”.

Estas mensagens foram trocadas após decisão do ministro Ricardo Lewandowski, noticiada na mesma manhã, em que autorizara Lula a conceder entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. A procuradora Laura Tessler chegou a comentar que era uma “piada” e classificou a decisão como “um verdadeiro circo”.

O áudio de Dallagnol veio após o procurador ter conhecimento da suspensão da decisão, por Fux. “URGENTE. É SEGREDO. Sobre a entrevista. Quem quer saber ouve o áudio”, escreveu. Na gravação, disse: “Caros, o Fux deu uma liminar suspendendo a decisão do Lewandowski que autorizava a entrevista, dizendo que vai ter que esperar a decisão no plenário. Agora, não vamos alardear isso aí. Não vamos falar para ninguém. Vamos manter, ficar quieto, para evitar a divulgação o quanto for possível. Porque quanto antes divulgar isso, antes vai ter recurso do outro lado, antes isso aí vai para o plenário. Então, o pessoal pediu para a gente não comentar aí publicamente e deixar que a notícia surja por outros canais para evitar precipitar recurso de quem tem uma posição contrária à nossa. Mas a notícia é boa, para terminar bem a semana. Depois de tantas coisas ruins. E começar bem o final de semana. Abraços!”

O vazamento deste episódio se soma às mensagens já reveladas sobre o caso Lula, que demonstram atuação política dos procuradores e conduta suspeita do ex-juiz Sérgio Moro. Diálogos veiculados pela rádio BandNews, em parceria com o Intercept, no dia 20 de junho, mostram que Moro deu orientações que resultaram na troca da procuradora Laura Tessler na bancada acusatória do ex-presidente.

Outras mensagens divulgadas em 14 de junho mostram que o então juiz zombou dos advogados de Lula, citando o que chamou de “showzinho da defesa”. Ao mesmo tempo, aconselhou que os procuradores emitissem uma nota à imprensa e propôs o conteúdo do texto a ser escrito.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem