Economia

Guedes omitiu que filha é diretora da offshore nas Ilhas Virgens, denuncia deputado

Elias Vaz (PSB-GO) irá abrir uma representação no Ministério Público Federal contra o ministro

(Foto: FÁBIO POZZEBOM/ABR)
Apoie Siga-nos no

O ministro da Economia Paulo Guedes omitiu do governo federal que sua filha, Paulo Drumond Guedes, segue como diretora da offshore mantida por ele nas Ilhas Virgens Britânicas. A denúncia foi feita pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) nesta segunda-feira 15. Em nota, o parlamentar afirma que irá abrir uma representação no Ministério Público Federal contra o ministro de Jair Bolsonaro.

De acordo com o parlamentar, Guedes deixou a direção da empresa no paraíso fiscal em 2019, ao assumir o cargo de ministro, mas sua filha seguiu à frente da empresa como diretora, cargo que ocuparia desde 2015. A informação, no entanto, teria sido omitida por Guedes na Declaração Confidencial de Informações (DCI) exigida pelo governo, a qual o deputado teve acesso.

“Em 2019, quando se tornou ministro, Guedes não apresentou essa informação exigida pelo governo. Segundo a documentação, ele foi diretor de 2014 a 2019 e a filha é diretora desde 2015. Além disso, a esposa do ministro também é sócia da offshore”, destaca um trecho da denúncia encaminhada.

“Entendo que a empresa está sob suspeita. É no mínimo muito estranho Guedes ter omitido essas informações. Por isso, é importante que o Ministério Público Federal analise o extrato de desempenho dessa offshore para saber se não foi beneficiada por informações privilegiadas que Guedes obteve por ser ministro”, escreve Vaz em outro trecho.

O deputado diz ainda que irá cobrar o cumprimento da convocação de Guedes ao Congresso Nacional para prestar esclarecimentos. O ministro era esperado na Câmara dos Deputados nesta terça-feira 16, mas está em Dubai acompanhando Jair Bolsonaro. Para se livrar da convocação, Guedes encaminhou um ofício e pediu ‘por gentileza’ aos parlamentares que se contentem com as informações encaminhadas no documento.

O caso de Guedes foi revelado pelo Pandora Papers, um conjunto de informações obtidas e reveladas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, o ICIJ. A suspeita é de que o ministro tenha violado os artigos do Código de Conduta da Alta Administração Federal e usado informações privilegiadas para ampliar seu lucro nas empresas que mantém no Caribe.

De acordo com as informações divulgadas até o momento, com a sua atuação junto ao governo federal, Guedes fez saltar o montante mantido na offshore de 16 milhões de reais para aproximadamente 51 milhões de reais.

“O que ele tem a esconder, por que não vem à Câmara e se explica? Enquanto ele usou informações privilegiadas para lucrar milhões sem pagar imposto, tem brasileiro se alimentando de osso e sebo”, reforça o parlamentar na denúncia.

 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo