Governo divulga vídeo em defesa do golpe militar de 1964

Política

Desde que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) recomendou na segunda 25 que as unidades militares celebrassem hoje os 55 anos do golpe que originou a Ditadura Militar brasileira, está acontecendo um embate entre o Planalto e órgãos do Judiciário, que se manifestaram repudiando a decisão presidencial.

Contudo, na manhã deste domingo 31, por meio de seu canal oficial no WhatsApp, o governo federal divulgou um vídeo em apoio ao golpe. A razão da ruptura democrática, segundo a peça, era necessidade de combater uma revolução comunista que estava prestes a acontecer no Brasil.

O ator que estrela, já idoso, se aproveita deste fato para se comunicar com os brasileiros da mesma idade: “Se você tem a mesma idade que eu, um pouco mais, um pouco menos, sabe que houve um tempo em que nosso céu de repente não tinha mais estrelas que outros”, diz o ator. Aos mais jovens, ele pede que façam pesquisas em jornais da época.

Leia também: Ministério Público: celebrar ditadura é crime de responsabilidade

Confira:

Leia também: O Brasil do regime militar idealizado por Bolsonaro

Conforme o texto narrado pelo ator, havia um clima de “medo e ameaça” na época em que o golpe militar ocorreu. O roteiro atribui este medo à supostos crimes cometidos por comunistas, como sequestros e assassinatos. Diz ainda que havia “greves nas fábricas” e que o movimento que levou os militares a cometerem o golpe teria partido da mídia e do “povo de verdade — pais, mães, Igreja”.

Ao final do vídeo, uma voz em off brada: “O Exército não quer palmas nem homenagens. O Exército apenas cumpriu o seu papel”, com a imagem da bandeira brasileira ao fundo.

Leia também: Ditadura concentrou renda, matou e era corrupta

No momento, o presidente Jair Bolsonaro está em Israel. Ele discursou pela manhã com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e decidiu abrir um escritório comercial do Brasil em Jerusalém. Até agora, não fez nenhuma manifestação pública sobre a data.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Estagiária de Jornalismo de CartaCapital.com.br

Compartilhar postagem