Genro de Silvio Santos toma posse como ministro das Comunicações

Fábio Faria agradeceu a Patrícia Abravanel, filha do dono do SBT, por liberá-lo para 'servir' o país

O novo ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN). Foto: Marcos Corrêa/PR

O novo ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN). Foto: Marcos Corrêa/PR

Política

O deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) tomou posse como chefe do Ministério das Comunicações nesta quarta-feira 17, em cerimônia no Palácio do Planalto. No evento, estiveram presentes autoridades como o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Fábio Faria é genro do dono da emissora SBT e casado com a apresentadora Patrícia Abravanel. Bolsonaro recriou o Ministério das Comunicações a partir de uma divisão da pasta da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, administrada pelo astronauta Marcos Pontes.

Durante a solenidade, Fábio Faria agradeceu a Patrícia Abravanel por se deixar “perder um pouco do marido”. O deputado afirmou que ainda que ela vai dedicar mais tempo à família. “Muito obrigado por me liberar para servir o meu país”, afirmou Fábio à filha de Silvio Santos.

Em seu discurso, citou o crescente uso da internet para a realização de videoconferências, comércio eletrônico, educação à distância, tramitação de processos da máquina pública e tratamento via telemedicina para defender a “inclusão digital”.

“É prioritário fazer o processo de inclusão digital andar a passos largos, porque ainda há uma grande parcela da população sem acesso à internet. Milhões de crianças que não conseguem assistir às aulas online, e adultos que não têm como trabalhar remotamente”, afirmou.

O novo ministro também pediu trégua nos conflitos políticos para voltar atenções ao combate à pandemia do novo coronavírus.

“Se é tempo de levantarmos a guarda contra o novo coronavírus, também é hora de um armistício patriótico e deixarmos a arena eleitoral para 2022. É preciso, sobretudo, de respeito, e que deixemos as nossas diferenças político-ideológicas de lado para enfrentarmos esse inimigo invisível comum que, lamentavelmente, tem tirado a vida de milhares de pessoas e gerado danos incalculáveis à economia. É hora de pacificar o país”, declarou.

Em seguida, Fábio Faria afirmou que tem como desafio, no ministério, “democratizar o acesso às tecnologias de vanguarda da comunicação, de modo a conectar todos os cidadãos na chamada sociedade da informação”.

O coletivo Intervozes criticou a nomeação de Fábio Faria para a chefia da pasta. Em artigo publicado em CartaCapital, as jornalistas Helena Martins e Bia Barbosa escreveram que, com a escolha do genro de Silvio Santos, o Ministério das Comunicações volta a ser comandado pelos donos da mídia.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem